Helayne Boaventura e
Mariana Ceratti
Do Correio Braziliense

04/08/2005
08h09-O senador Demóstenes Torres (PFL-GO) afirmou nesta quarta-feira que uma das empresas de Marcos Valério de Souza repassava recursos para o pagamento de prostitutas que participavam de festas com parlamentares no hotel Grand Bittar, de Brasília. No depoimento de Simone Vasconcelos, diretora-financeira da SMPB, o senador perguntou à depoente se ela conhecia Ricardo Machado e recebeu uma resposta positiva. Em seguida, questionou se conhecia uma cafetina chamada Geane. Aparentando nervosismo, Simone disse que desconhecia o assunto.

“Eu tive informações de que, além do patrocínio do mensalão, haveria uma orgia patrocinada pelos mesmos cofres. De acordo com essas informações, as festas tinham a participação de parlamentares”, afirmou Demóstenes. Segundo o senador, Ricardo Machado era a pessoa que pagava as orgias promovidas por Geane Mary Corner, famosa cafetina de Brasília. Ele é sócio da MultiAction, empresa de eventos de Marcos Valério.

Ao inquirir Simone, o senador Heráclito Fortes (PFL-PI) foi irônico ao abordar o tema: “Tem parlamentar com mais medo da lista da Geane do que da lista do Banco Rural”. Já a senadora Heloisa Helena classificou os encontros entre parlamentares e prostitutas como o “componente festivo dos saques aos cofres públicos”, referindo-se à informação de que as festas em hotéis de Brasília ocorriam sempre depois de saques nas contas das empresas de Marcos Valério.