DEPOIMENTO
Um susto: "Tive que ser operada às pressas"
Fonte:  http://arvoredobem.ig.com.br/materias/21/0501-0600/581/581_01.html


Histórias de vida
Esta leitora fez reposição hormonal por cinco anos. Depois de passar a ter
pressão alta, acabou na mesa de cirurgia, para a retirada de um tumor que
cresceu muito em pouquíssimo tempo. Ela continua a favor da reposição, mas
com boa orientação. Veja sua experiência.



?Em março de 1996 fiz uma cirurgia para retirada do útero. A partir de abril
desse mesmo ano, sob orientação médica, comecei a fazer reposição hormonal
com o medicamento Premarin. Fiz esse tratamento até janeiro de 2002, sem
interrupção. No início, a dosagem era mais baixa e eu ingeria o Premarin
durante vinte e oito dias e parava dois. Ao longo do tempo, a dosagem foi
aumentando e a partir de um certo momento o intervalo de dois dias foi
suspenso pela médica. Tomava o medicamento direto, sem parar. Em 2000, minha
pressão arterial começou a se alterar violentamente. Nos picos, chegava a
22/16, o que é um absurdo (é importante dizer que antes de tomar o
medicamento minha pressão era muito boa, oscilando entre 11/7 e 13/8, dentro
dos padrões normais). Minha médica dizia que eu era hipertensa. Ao mesmo
tempo, surgiu um volume em meu abdome e ele se tornou mais duro. Parecia uma
tábua. Ela dizia que era o resultado da ginástica que eu fazia. Minha
musculatura estava se fortalecendo.
Insatisfeita e um pouco preocupada, decidi procurar o ginecologista que
havia me operado em 1996. Ele simplesmente ficou apavorado. Após me
examinar, disse que eu tinha um tumor enorme e solicitou urgente uma
tomografia total do abdome. Fui operada às pressas. Dentro de mim havia um
tumor encapsulado do tamanho de um feto de sete meses. Em pouco tempo minha
pressão arterial voltou ao normal, 11/8. Não tenho como provar, mas minha
intuição diz que eu não deveria ter tomado o Premarin por tanto tempo e sem
interrupção alguma. Sou a favor da reposição hormonal, mas desde que seja
muito bem orientada.?

Arine Pacileo Pereira, 58 anos, é comerciante

O Premarin é um medicamento muito conhecido entre médicos e mulheres que
optaram pela terapia de reposição hormonal. Você sabe como ele é feito?

?O Premarin é derivado da urina de éguas prenhes e contém dezessete tipos
diferentes de estrógeno, a maioria dos quais inimiga dos seres humanos. Esse
medicamento é produzido em condições profundamente desumanas. Éguas prenhes
são permanentemente cateterizadas e mantidas em espaços minúsculos. Após
terem a cria, só podem amamentar os filhotes durante uma semana, com a
finalidade de engravidar novamente o mais rápido possível. Essas verdadeiras
fábricas vivas de Premarin morrem freqüentemente durante a segunda ou
terceira gravidez devido ao estresse produzido pelo confinamento.? Trecho
extraído do livro A Mulher de 0 a 90 (e além), os ciclos femininos sob o
ponto de vista da biologia, da psicologia e da espiritualidade, da Dra. Joan
Borysenko. Editora Nova Era.


Sites sobre Premarin:
 http://geocities.yahoo.com.br/animaissos/premarin.html
 http://www.menopauseonline.com
 http://www.premarin.org/

Apresentação em PowerPoint sobre Premarin:
 http://www.apasfa.org/futuro/premarin_port.pps

De todos os medicamentos usados para reposição hormonal que estão no
mercado, o Premarin é o único que usa urina de éguas grávidas. Todos os
outros, além de seguros para a saúde, são fabricados a partir de plantas.

Mas se há hormônios sintéticos eficazes e mais seguros para a saúde, por que
não param de vender Premarin?

Porque existe uma indústria, uma máfia, que lucra milhões na produção desse
medicamento. As éguas e os potrinhos são leiloados a baixo custo para
matadouros. Os rancheiros que criam as éguas também faturam e assim por
diante. Quem quiser comprar um vídeo que mostra como funciona a "máfia" do
Premarin (os responsáveis pela investigação foram agredidos diante das
câmeras, ao tentarem filmar um leilão de éguas para matadouros) está
disponível através do site:  http://uan.org/premarin/premarinresources.html

Como podemos ajudar a acabar com a "máfia" do Premarin?
As armas que temos para derrotar o laboratório é conscientizar os médicos
para não receitarem, e as mulheres que nos cercam a não aceitarem prescrição
do medicamento Premarin. Enquanto houver procura, haverá demanda.

Abaixo, um modelo de carta que pode ser adaptado ou enviado na íntegra para
o seu ginecologista e para o médico veterinário dos seus animais, pois o
Premarin também é muito receitado para cães, que acabam desenvolvendo
tumores.

**A campanha contra o medicamento Premarin não é só para as mulheres. Os
homens podem passar para esposas, mães, tias, amigas e filhas**


________________________________________________________________

Caro Dr(a)________________

Tomei conhecimento, através da internet, sobre como é produzido o
medicamento PREMARIN, substituto do estrogênio, fabricado pelo Laboratório
Wyeth-Ayerst e consumido por milhões de mulheres em todo o mundo para
aliviar os sintomas da menopausa. Tive oportunidade de ver fotos, ler artigos e
conversar com pessoas que assistiram ao vídeo "Look into their eyes",produzido
pela United Animal Nations, disponível para venda em: www.uan.org, mostrando os
bastidores da fabricação desse remédio

Para produzir Premarin, éguas são engravidadas e postas em minúsculas celas
de estábulos, que medem 1,68m por 2,43m. Por seis meses, enquanto seus
corpos estão produzindo altos índices de estrogênio, essas éguas não podem
dar mais que um ou dois passos em qualquer direção, se virar ou mesmo deitar
confortavelmente. É comum desenvolverem uma fraqueza tal que mal podem ficar em
pé.

Os animais são forçados a usar 24 horas por dia um saco de borracha coletor
de urina que causa ferimentos dolorosos. Também lhes é negado acesso livre à
água, para que a urina coletada contenha índices concentrados de estrogênio.
Esse fato pode provocar problemas renais e de fígado, além de causar mais
ferimentos, já que, por sentirem sede aguda, as éguas se desesperam e se
debatem quando a pouca água é distribuída.

Nascidos em março e abril, a maioria dos potros é dirigido ao processo de
engorda por alguns meses e depois enviado a matadouros. Por mais de 50 anos
esse sistema tem matado milhões de potros. Muitos são retalhados ainda
vivos.

Além da crueldade com as éguas e potros, o PREMARIN é responsável por danos
à saúde humana. A bula do medicamento americano adverte que o medicamento
pode provocar câncer de útero. O Laboratório desmente que os animais sejam
maltratados, mas não é difícil ter acesso a diversas investigações feitas por
organizações internacionais, reconhecidamente sérias, que mostram as referidas
crueldades em fotos e vídeos. Além disso, na internet há diversos web sites com
informações sobre o PREMARIN. Sugiro que consulte, ao menos, um deles:
 http://www.menopausaonline.org.

Escrevo para lhe pedir que se junte aos milhares de outros médicos
americanos e europeus que pararam de prescrever PREMARIN. Agradeço sua
atenção e conto com sua colaboração para que possamos construir um mundo
mais compassivo para animais humanos e não humanos.

Pela saúde das mulheres,
Por respeito a todos os seres vivos,

Cordialmente,

Nome
Assinatura