ABRINDO A CAIXA PRETA DO CARNAVAL ? BRASIL, A CAMINHO DE UMA NOVA COLOMBIA

Em comparação aos que ficaram em casa e não participaram do carnaval, temos uma MINORIA QUE PREFERE A ANESTESIA desde período para tentar escapar dos problemas que retornam piores após estes dias de trevas. Na contra-mão desta festa idiota e sem sentido, temos um país em decadência, falido, com um povo sem ideologia, sem doutrina, sem respeito, sem moral, sem diretriz política-social e, o pior, sem fé.

VAMOS FALAR DO CARNAVAL DO RIO

O ABSURDO ? MAIS DE 22 MILHÕES DOADOS PARA O CARNAVAL DO RIO
Para a festa de carnaval aqui no Rio, foi feita uma COMISSÃO DE CARNAVAL, cujos membros são aqueles famosos BICHEIROS (muitos deles já foram até preso e outros ainda respondem inquérito policial ou processo mesmo) e presidentes de escolas de samba. Daí o bondoso Governo Federal, EM NOME DA CULTURA, doou 12 milhões de reais para o carnaval carioca. O Governo Estadual não ficou atraz e colocou mais 5 milhões no pacote. O Governo Minicipal então fez o mesmo, colocando mais 5 milhões de reais. Resumo, mais de 22 milhões de reais, pois mais empresas contribuíram para depois abater no imposto de renda, TUDO PELA CULTURA. O dinheiro foi administrado pela tal comissão de gente honesta e de bem já citada acima. Ainda temos o fato de que o pagamento feito aos autores das músicas, veio deste dinheiro e que o autor do samba da MANGUEIRA foi um traficante procurado do complexo da mangueira. Grande parte deste material empregado nas escolas de samba, VIRA LIXO e o governo do Rio e a Prefeitura, gastam ainda mais dinheiro com segurança, limpeza e despesas com ambulâncias, hospitais, etc. Tudo pago por nós, otários brasileiros.

O QUE NÃO DÁ PARA ENTENDER
Se cada componente da escola paga pela fantasia; Se cada personalidade, celebridade como dizem, paga somas altíssimas para poder sair nas escolas como rainha de bateria, destaque, etc.; Se todos pagam para assistir o carnaval, qual o motivo ou razão de injetarem TANTA GRANA DO POVO nesta festa que a MINORIA PARTICIPA, já que a maior parte da população FICA EM CASA, EM RETIROS, EM LOCALIDADES TURISTICAS OU VIAJAM PARA FORA DO PAÍS?
O povo que gosta desfila de graça, para uma platéia de pagantes, para onde vai este dinheiro? Só o camarote DAS CERVEJARIAS gastam milhões.
Incrível é o zé povinho que ganha salário, junta quase 2 mil reais para comprar um fantasia para sair na avenida sem ganhar nada e depois volta para o barraco e para a pobreza ainda pior. Mas na hora de trabalhar, aí que preguiça, que sono, o zé ruela que pulou e gastou o que não tinha para ser figurante de graça e sem reclamar, fica logo casado.

VAMOS ABRIR A CAIXA PRETA DO CARNAVAL
Alguém tem que acabar com esta pouca vergonha, CULTURA DA POUCA VERGONHA, CULTURA DA PROSTITUIÇÃO, CULTURA QUE SÓ TRAZ MALEFÍCIO A IMAGEM DO PAÍS E AOS LARES DO BRASIL, temos que falar a verdade, muitos lares, após o carnaval, estão destruídos, pessoas estão contaminadas outras perderam a vida outras estão hospitalizadas. Na Bahia foram mais de 120 brigas em um só dia e em uma rua somente, com um óbito. Isto sem falar no trânsito. Os sites de turismo (confiram na internet), só mostram mulheres nuas no carnaval, fios dental das meninas na praia, clubes de massagem e a prostituição dos bailes funk. Que país lindo... Para o estrangeiro/turista as mulheres brasileiras são todas galinhas. Nossos sites estão cheios de prostituição, desenhos de crianças transformados em sexo puro, não tem mais amor, carinho, só sexo. Estão tentando destruir o que Deus criou, o amor entre os sexos, transformando numa coisa podre, nojenta e violenta. Desenhos e revistas com estupros e coisas do gênero. Muita gente boa vê, daí temos um número enorme de mulheres e jovens estupradas, o que aumentou muito nos dias de carnaval. Muitos saíram apenas para se divertir, contagiado e emocionado pelo clima de alegria, sem maldade, como seria bom não é mesmo, mas isto é utopia, a realidade é outra, na rua tem de tudo e cada um, rico ou pobre, preto ou branco, pensa diferente do outro, o problema é que no carnaval, os canalhas podem usar mascaras a vontade e, se de cara limpa o safado já aprontava, quanto mais mascarado.
Se o carnaval é cultura, todo tipo de festa também é, vamos LIBERAR VERBA PARA FESTAS JUNINAS, FESTAS CATÓLICAS, EVANGÉLICAS, ETC. Vamos exigir a prestação de contas destes safados que estão enrolando toda a população. É muita grana. Tanta coisa a fazer e eles torrando o dinheiro público. Afinal, a quem interessa esta administração do CARNAVAL? Quem ganha? Quem perde? De onde vem a Grana? Quem gasta e com o que gasta? Onde esta o dinheiro? Quanto sobrou? Quanto foi arrecadado?

QUEREM PRIVATIZAR TUDO, ENTÃO PRIVATIZEM O CARNAVAL?
Já basta de subsídio idiota para gastar o que não tem em orgias e sacanagem. O carnaval, principalmente do Rio, é auto-suficiente, entra muita grana, as indústrias de cerveja gastam milhões e outras também, o comércio e carros de soma eles que paguem a conta e não o povo. A Rede Globo por exemplo, que LEVANTOU O CARNAVAL, QUE ESTAVA CAIDINHO, COM PROPAGANDAS E ELOGIOS DIRETOS, em troca conseguiu quase uma exclusividade e ganha muita grana com isso que coopere.

NA CONTRA-MÃO
Não digo no país, mas aqui no Rio, tudo é uma VERGONHA, a Praça XV esta com a escada rolante parada a meses, tudo sujo, carros de polícia caindo aos pedaços, sem funcionar nem a parte elétrica, O CIDADÃO NÃO PODE ANDAR ASSIM, MAS A POLÍCIA PODE. O carioca anda quilômetros na Av. Brasil sem ver uma viatura policial, com a pista toda esburacada, crateras enormes, em Guadalupe na pista da direita asfaltaram uma parte da pista e a outra não, causando um desnível enorme, mais a frente ondulações enormes e a pista toda cheia de buracos, na Fazenda Botafogo o mesmo, buracos enormes e fundos, na entrada da Presidente Dutra (BR-116 ? que já na altura de Nova Iguaçu não tem luz) e a entrada, pelo viaduto da cidade alta, da rodovia Washington Luiz (BR-040), buracos enormes. Penha, Ilha do Governador e Bonsucesso, principalmente na entrada da linha amarela buracos de mais de 1 metro com mais de 20 centímetros de fundura (altura da Hospital de Bonsucesso), um verdadeiro absurdo, passarelas sem manutenção e caindo (vejam a de Parada de Lucas, em frente a antiga Manchete, alguns degraus já caíram). Hospitais sem medicamentos e médicos, sujos e sem funcionários; Escolas de igual modo sujas, cujos país nem ligam que os filhos estudem e passem o dia num chiqueiro. Pior os professores que trabalham neste ambiente e ainda ganham uma merreca, sem alternativa de mudar. Culpado disso tudo, vão dizer naturalmente que é o servidor público, o safado inteligente que fez um concurso público, onde milhares de pessoas tentaram e só ele passou, daí ficou em experiência, conseguiu ficar efetivo e com estabilidade de emprego, pois seu patrão é político e muda de cinco em cinco anos, o servidor desconta bem mais para se aposentar integralmente e sem FGTS e INSS e sem direito a seguro saúde se viajar para o exterior. Todo cidadão que tem INSS tem direito ao seguro quando viaja para o exterior, mas o servidor civil ou militar não tem direito não, pode morrer por lá que ninguém liga, quem mandou viajar e quem mandou ficar doente (confiram quando for tirar um passaporte).
Uma casa no centro histórico do Rio caiu recentemente por falta de manutenção, Museus abandonados (vejam o estado do Museu nacional da quinta da boa vista); presídios com hiper-lotação e preços vivendo como animais. Uma justiça ridícula para penas ridículas, que absolve um criminoso pela idade.
Confiram os índices do IBGE é vejam a realidade de nosso país e depois analisem se tem sentido um gasto desta magnitude?
Após o carnaval os efeitos colaterais que surgirão daqui a nove meses. Um monte de filhos do CADINHO (um cadinho deste, um cadinho daquele, etc.)
Não é a toa que estrangeiros conhecem mais o Brasil do que os brasileiros.
Depois do carnaval só nos resta pagar o IPVA, IPTU e tudo quanto e conta, principalmente os cartões, alguns com despesas de passeios, outros com as despesas dos parentes que chegaram para passar o carnaval na sua casa, QUE MARAVILHA....

É o CRÉU do pós carnaval, onde tudo aumentou de preço e ninguém viu.
Num país que um pai de família aceita músicas pornográficas do funk e dança da garrafa, não pode ser levado a sério. Aqui, quem fala contra esta máquina da sacanagem é taxado como MORALISTA, como se isto fosse uma coisa ruim. Moralista sim, temos que voltar em algumas coisas. O povo tem que ter vergonha na cara e começar a pensar e exigir seus direitos.



SEGUE DADOS ESTATÍSTICOS NO NOSSO MARAVILHOSO BRASIL, não acreditem em mim, acreditem no IBGE,
(www.ibge.gov.br) ? podem conferir.

Segundo a Pesquisa ESTATÍSTICAS DO REGISTRO CIVIL, do IBGE, que analisa informações fornecidas pelos cartórios e varas de família de todo o país sobre nascimentos, óbitos, casamentos e separações, já no ano de 2002, dos 3,5 milhões de bebês que nasceram, oitocentas mil não tiraram sua certidão de nascimento no prazo legal. O estudo também mostra que aumentou levemente o número de partos na adolescência, enquanto as mulheres mais velhas têm cada vez menos filhos. Revela, ainda, que o percentual de óbitos violentos cresceu em relação à década de 1990. Nascimentos
Segundo estimativa feita pelo IBGE, nasceram 3,5 milhões de crianças em 2002. Os cartórios, no entanto, informam que foram registradas apenas 2,7 milhões. Ou seja, 800 mil crianças não tiraram certidão de nascimento no prazo legal de até 90 dias depois do nascimento.

A pesquisa constatou que os brasileiros se casam cada vez menos e mais tarde.

O BRASIL A CAMINHO DE SER UMA NOVA COLOMBIA - A CRIMINALIDADE
Estamos caminhando para uma guerra civil ou vamos virar uma Colômbia, onde parte do território esta dominada pelas FARC, igualmente como acontece com o Complexo do Alemão, Maré, Manguinhos, Vidigal, Rocinha, etc., onde traficantes FALARAM ABERTAMENTE, DESAFIANDO TODOS OS GOVERNOS, PRINCIPALMENTE FEDERAL E ESTADUAL, onde declaram que o tráfico não vai acabar e que a VERBA DO PAC tem que SER PASSADA PARA ELES ADMINISTRAR, REALIZANDO AS OBRAS NO LOCAL. Segundo o IBGE (único órgão que realiza pesquisas a nível nacional, além de mapas geográficos e cartográficos e reconhecido a nível internacional), já em 2004 ? A publicação Síntese de Indicadores Sociais 2004, lançada em fevereiro pelo IBGE, revela crescimento do número de mortes de jovens associadas à violência a partir da década de 1980. O problema atinge principalmente jovens do sexo masculino com idade entre 20 e 24 anos. Segundo a publicação, eles correm um risco quatro vezes maior de morrer devido a causas externas - acidentes de trânsito, afogamentos, suicídios, homicídios, quedas acidentais etc. - que mulheres nessa mesma faixa etária.
Entre 1980 e 2003, a incidência desse tipo de morte entre jovens do sexo feminino sofreu pequena variação: indo de 18 para 22 óbitos a cada 100 mil jovens. Com o sexo masculino o quadro foi outro. No mesmo período, houve aumento de 121 para 184 óbitos a cada 100 mil. Portanto, em 2003, morriam cerca de dez vezes mais jovens do sexo masculino que do feminino.
Um levantamento divulgado recentemente pelo Ministério da Saúde mostrou que as mortes por acidentes, homicídios e suicídios têm um grande peso na mortalidade registrada no país. E entre as mortes violentas há um grande destaque para os homicídios.
Dentre os países sul americanos, o Brasil ocupa a segunda posição em mortes por homicídios DEVIDAMENTE REGISTRADOS (a parte os que não puderam ser registrados).
A Síntese dos Indicadores Sociais traz estas e outras informações sobre saúde, educação, aspectos demográficos, desigualdades sociais, etc.
Entre 1980 e 2000, no Brasil, foram vítimas de homicídios 598.367 pessoas; dois terços delas (369.101) na década de 1990. Naqueles mesmos 20 anos, o Brasil registrou mais de 2 milhões de mortes por causas externas e 82% delas foram de homens. Enquanto nos anos 80 os acidentes de trânsito eram a principal causa externa dos óbitos masculinos, na década de 90, os homicídios assumiram a liderança.
Entre 1980 e 2000, a taxa de mortalidade por homicídios para ambos os sexos no Brasil aumentou 130% (de 11,7 para 27 por 100 mil habitantes). As taxas mais altas, também por 100 mil habitantes, eram de PE (54), RJ (51), ES (46) e SP (42). De 1980 a 2000, as taxas masculinas de mortalidade por homicídios saltaram de 21,2 para 49,7.
Entre 1991 e 2000, no Brasil, aumentaram em 95% as taxas de mortalidade por homicídios com uso de armas de fogo, entre homens de 15 a 24 anos. Em 2000, as maiores taxas eram de RJ(182), PE (180), ES (122), SP (115) e DF (113). Em números absolutos, em 1991, foram vítimas de homicídio 5.220 homens nessa faixa de idade, com uso de armas de fogo, e outros 12.233 foram mortos da mesma forma, em 2000.
Cerca de 20% das crianças nascidas em 2002 eram de mães de 15 a 19 anos de idade. Quando as mães têm menos de 3 anos de estudo, a taxa de mortalidade entre menores de 5 anos é de quase 50 por mil; entre as mães com mais de 8 anos de estudo, a mesma taxa cai para 20 por mil.
Em 2002, havia 14,6 milhões analfabetos no Brasil (11,8 % da população de 15 anos ou mais de idade, contra 17,2% em 1992). O País tinha 32,1 milhões de analfabetos funcionais, e 65,7% dos estudantes com 14 anos de idade estavam defasados.
Em 2002, a taxa média de desocupação foi de 9,2% e era maior para quem tinha mais anos de estudo: 5,6% entre os com até três anos de estudo e de 10,6% para os com oito ou mais.
O IBGE, na pesquisa da Síntese de Indicadores Sociais, apresenta pela primeira vez as Metas do Milênio, definidas pela ONU em 2000 e adotada por 189 países, inclusive o Brasil. O acordo estabelece a implementação de melhorias sociais, até 2015. O IBGE participa do grupo interministerial coordenado pela Casa Civil da Presidência da República que, em setembro deve levar à ONU um relatório sobre o monitoramento das metas no Brasil.
Dados dos censos e do Datasus comprovam o aumento da violência no país. Entre 1980 e 2000, a taxa de mortalidade por homicídio cresceu 130%, passando de 11,7 por cada 100 mil habitantes para 27 por 100 mil. As maiores taxas estão nos estados de PE (54), RJ (51), ES (46) e SP (42).
Rio de Janeiro e Pernambuco são os estados onde a violência contra o homem jovem é maior. No Rio de Janeiro, em 2000, havia 205 homicídios por 100 mil homens de 15 a 24 anos, sendo que as mortes por armas de fogo representavam 89% deste total. De 1991 para 2000, as mortes de homens jovens por armas de fogo cresceram 45% no estado, passando de 124,5 por 100 mil para 181,6 a cada 100 mil.
Em Pernambuco, em 2000, por sua vez, havia 198 homicídios para cada 100 mil homens jovens, 91% deles com armas de fogo. De 1991 para 2000, o crescimento das mortes de homens jovens por armas de fogo foi de 121%, passando a taxa de 80,9 por 100 mil para 179,5 por 100 mil.



É isto aí, ENVIEM POR E-MAIL ESTA MATÉRIA PARA O SEU CANDIDATO OU PARA O SEU POLÍTICO ou ainda PASTOR, BISPO, PADRE, ETC.

Um abraço ao pastor Hamilton da Comunidade em Amor e Graça, no Complexo da Maré, homem de Deus a mais de 30 anos como pastor, não tem carro, nem conta pompuda na poupança. Outro abraço ao pastor Marcos Pereira da ADUD, pelo trabalho que ele faz nas favelas, que Deus lhe de humildade e que ele saiba sempre o valor de uma vida. Pastor Marcos, o senhor tem uma obrigação, não comigo, mas com Deus que o chamou. Se for sincero sua obra ira cada vez mais pra frente. Aqueles que não são, a casa um dia sempre cai, pode demorar mais caí.

Profeta144000 ? publicado também no www.brasilwiki.com.br
Podem divulgar a vontade -