136 ? INTERNET ? (de Goiânia ? GO) A jornalista e apresentadora de TV que mora em Maringá ? Paraná, Rose Leonel, viveu um romance com um rapaz da mesma cidade por quatro anos. Segundo a jornalista, em entrevista a Rede TV no Programa Super Pop, ela amava tanto o moço que permitia que ele ?tirasse? fotografias suas em poses eróticas e nuas em casa, motéis, praias de nudismo ou ainda, praticando sexo oral. Algum tempo depois, com o rompimento da relação, o moço, sabe-se Deus por qual motivo, publicaram algumas destas fotografias, em páginas pornográficas da internet e ainda tratou de divulgá-las. Como na internet, este tipo de situação é pior do que vírus, as fotos se espalharam e ganharam o mundo, mas principalmente os apaixonados por este tipo de fotos de sua cidade, Maringá. A jornalista Leonel se diz injustiçada, difamada, com imagem e caráter abalados do ponto de vista material, motivo com que lhe conduziu a mover uma ação cível e criminal contra o rapaz.

A jornalista balzaquiana conta que é mãe de dois filhos adolescentes (um casal) e que tais publicações irregulares não só abalaram a condição social de seus filhos, levando-os a portar atitudes de baixa estima, bem como, atrapalhou seus laços comerciais perante a sociedade de Maringá, uma vez que na época ela era colunista social, e pelo que consta na maioria de veículos que adotam este tipo de coluna, o jornalista que assina, necessita buscar a venda de espaços comerciais para a manutenção das notícias. Ela também alegou que o fato inusitado feriu sua honra e que é alvo de piadinhas e atitudes nada éticas de pessoas que a vêem pelas ruas.

Na platéia da Rede TV, um advogado chegou a dar algumas orientações à moça ofendida, mas a advertiu que, no ponto de vista dele, não enxergou nenhum crime, uma vez que as fotografias estão nitidamente afirmativas da autorização da personagem (modelo). Ela sorri na maioria das imagens, olhando fixamente para a lente do fotógrafo, inclusive, nas fotografias em que aparece fazendo sexo oral com alguém do sexo masculino, ela não tenta sequer esconder a face, o que conota claramente à permissão. Também nota-se que a maioria das fotos foi feitas em locais fechados com muita nitidez, o que necessita de luz adequada (no caso das câmeras, são os flashes), ou seja, é praticamente impossível que o fotógrafo conseguisse tais imagens sem que a modelo notasse.

Outro fato importante que se passou na Rede TV é que também foram apresentadas algumas fotos em poses de sexo explícito onde aparecem outros personagens e a face da modelo teria sido cortada ou modificada. Perguntado a moça jornalista se seria ela nas fotos, ela afirmou que em algumas sim, era ela, mas que existiam muitas que teriam sido montadas apenas para denegrir a sua imagem (ainda mais). Ela chorou um pouco quando seus filhos deram alguns depoimentos e afirmou no final do programa que estava processando o fotógrafo e ex-amante por danos morais, materiais e criminalmente e que também estava preparando um livro (????).

Eu fiquei comovido com a história da moça, que no auge de seus trinta e poços anos continua bela e exuberante; dona de um corpo estilo ?filé minhon?, ela de fato está totalmente à vontade em todas as fotos que eu tive acesso. Cheguei a tentar ligar para o programa para tentar ajudá-la a identificar os sites que publicaram suas imagens, mas como não consegui, resolvi investigar o seu caso com mais afinco, para reiterar muitas de minhas teses já publicadas, que a internet, do mesmo jeito que é sensacional e educativa, pode arrasar a vida de algumas pessoas. Os internautas estão sempre em busca de alguma coisa interessante para publicar e no caso de fotografias, basta aparecer algumas mulheres bonitas com trajes íntimos ou nuas, que eles já preparam modificações e as colocam em situações de verdadeiro embaraço público. Fotografias de poses solo são sobrepostas com homens e até animais, transformadas em cenas de sexo explícito e coisas do gênero e depois, para provar que berimbau não é gaita, a sujeira já se tornou crônica e impossível de ser limpa.

Uma das coisas que eu descobri é que o fato gerador da animosidade entre o casal ocorreu em 2006; segundo afirmam alguns sites sérios, o ex-amante de Rose Leonel é Eduardo Silva ? Administrador do Shopping Avenida Center em Maringá e estas fotos, que foram ressuscitadas pela Rede TV em programa ao vivo, rolam na net há pelo menos dois anos. A moça afirmou que não concedeu a entrevista para ?aparecer? ou para ganhar notoriedade, mas isso foi o que ocorreu. Mesmo sendo apresentadora de TV, ela tem um público restrito. Seu programa matinal só é apresentado na televisão de sua cidade e o resto do Brasil sequer sabia quem era ela, até a data da entrevista na Rede TV, portanto eu concluo que ela pode até não ter presumido isso, mas acabou virando uma espécie de celebridade (teve seus 15 minutos de fama) e agora precisará administrar mais este distúrbio e conseqüências dele.

Quando eu era criança, minha mãe me dizia que quem fumava maconha iria morrer; esta história de rastrear as páginas que publicaram as fotos da jornalista na internet e fazê-las retirar e pagar pelos seus atos é mito e dificilmente ocorrerá. 99,9% das páginas e provedores que publicam conteúdo ilegal estão hospedados em países africanos, do Caribe ou da Ásia, portanto, torna-se impossível de obrigá-los a cumprir as leis brasileiras, ainda assim, não existe em nossa legislação nada que contradiga a publicação de fotos concedidas, salvo a apresentação das mesmas ao público de idade inferior a 18 anos.

Resumindo: As fotografias permanecerão, se multiplicarão e a depender do grau de importância desta jornalista a partir de agora na mídia, elas poderão ganhar uma dimensão intergaláctica, que o diga uma moça chamada de Maria das Graças, que é brasileira do Rio Grande do Sul, filha de um ex-governador, e que aparece em quase todos os sites do mundo de pornografia, escancarando vulva, seios, glúteos e apalpando pênis diversos, além de alocá-los nas mais variadas partes de seu corpo.

A pergunta é psiquiátrica e meramente acadêmica: Para quê esta moça se deixou fotografar nua e fazendo sexo oral? Qual tipo de ?tara? pode ter alguém que se deixa fotografar fazendo sexo explícito, de cara limpa, por um namorado, que em tese é um desconhecido? Em que estas imagens ajudam no ?dia seguinte? a relação sexual? Em nenhum momento lhe passou a cabeça que estas fotos poderiam cair em mãos alheias?

Se alguma destas perguntas pudesse ser respondida de forma categórica, com lucidez, talvez tivéssemos acesso ao motivo e as reclamações posteriores. O fato é que Rose Leonel não é a única, nem tampouco será a ultima a se deixar fotografar nua, fazendo sexo ou com roupas íntimas; a própria internet mostra todos os dias, nas páginas mais freqüentadas do Brasil, inclusive o Orkut do Google, que isso é uma coisa comum, corriqueira e que já não causa tanto espanto. Eu que possuo muito envolvimento com ONGS anti-pedofilia, recebo dezenas de apontamentos semanais de perfis no Orkut onde garotas de 10 a 15 anos se expõem nuas, seminuas ou fazendo sexo.

A primeira coisa que os profissionais trabalham nestas imagens é para saber se são reais ou montagens, e para surpresa de muitos, a maioria são originais. Notamos sorrisos nas faces das modelos ou muitas vezes são brincadeiras de jovens do mesmo sexo, que com a banalização das câmeras digitais, que raramente requerem revelações em papéis, tornam-se simples fotografar e arquivar as imagens. O resultado desta farra adolescente é a contribuição para o crescimento do crime, no caso de exposição de menores.

Da mesma forma, também existem as montagens quase perfeitas. Os escroques imundos retiram as faces de crianças e outras pessoas e as colocam sobrepostas em corpos nus, fazendo sexo. Tal prática é repugnante e deveria ser coibida com mais rigor, o mesmo rigor que aplicamos nos raros casos de prisões por pedofilia. Estes criminosos que dominam programas de manipulação de imagens, raramente são descobertos. Tudo começa com um e-mail enviado que se propaga de forma assustadora.

Os pais de crianças que brincam no Orkut ou que publicam fotos na internet deveriam conversar mais com estes jovens, fiscalizar mesmo tais fotografias e no primeiro sinal de distúrbio, denunciar a polícia. Nós adultos, que acreditamos que tais práticas ferem nosso código moral, o código de conduta do ser humano, deveríamos fiscalizar mais a internet e também denunciar os casos absurdos, mesmo que não sejam nossos filhos. Somente desta forma conseguiremos obter mais êxito nas investigações policiais. Eu tenho dois filhos adolescentes que utilizam a internet e o Orkut, mas suas páginas são diariamente vigiadas por mim e pela mãe e eles sabem disso e não se importam, não acham que é um mico; portanto, eles têm a certeza de que estão sendo protegidos e que raramente serão alvos deste tipo de absurdo indesejável em qualquer família.

Voltando ao caso da Rose Leonel, será difícil punir alguém pela divulgação de suas fotos; primeiro como já citei, ela demonstra e afirma textualmente que permitiu ser fotografada; segundo, eu mesmo analisei suas fotos e o único vestígio alheio a ela própria é parte de um órgão sexual masculino em que aparece sendo manipulado por ela; o dono daquele órgão pode ser qualquer pessoa (em tese); por ultimo, provar que foi seu ex-namorado é uma tarefa árdua, indelicada e demorada, afinal de contas, ela precisa provar a relação de publicação destas fotos nos sites com a máquina pessoal do rapaz. Em cada computador que acesse a internet, existe uma espécie de DNA que chamamos de IP; alguns destes IPs são variáveis, outros fixos. Se o IP dele for fixo, ficará mais fácil provar, mas antes, ela terá que encontrar a primeira página a ter publicado as fotografias. Com certeza, a maioria das páginas que expõe estas fotos hoje copiou de outras, que por sua vez, já tinham copiado de outras; resultado: é uma bola de neve...!

Meu conselho para estes moços e moças que se permitem fotografar nus ou fazendo sexo é: cuidado com isso, pois nunca sabemos se precisaremos de nossas imagens no amanhã. Hoje, podemos ser insignificantes perante o ?todo? da sociedade, mas amanhã, poderemos estar concorrendo a cargos políticos ou ainda sermos famosos e este tipo de exposição é prejudicial. Infelizmente é assim que a banda toca e dificilmente vai mudar. Mas se você não está nem aí com a sua imagem, ignore toda e qualquer regra e se fotografe, publique, distribua suas fotografias e faça a alegria dos masturbadores de plantão e dos maníacos desesperados. Quem sabe você não se torne famoso (a) e receba o troféu Promiscuo do Ano?


Carlos Henrique Mascarenhas Pires
Site do autor: www.irregular.com.br

Fotografias: Eduardo Silva (por informação da modelo) No site www.irregular.com.br existem duas fotografias da moça (modificadas)