A Praça do Relógio foi tomada por militantes, ativistas, estudantes, músicos, palhaços... que lutam por uma vida sem catracas.