Três estudantes da USP e uma moça que trabalha no Shopping Villa-Lobos foram vítimas de estupro na travessia da ponte da Cidade Universitária, área que dá acesso à Estação de Trem da Cidade Universitária. O estuprador, ao que tudo indica, espera suas potenciais vítimas em um matagal ali perto, sentado em um banquinho improvisado e as ameaça com uma chave de fenda, agindo com extrema agressividade e sadismo.

Estamos iniciando agora uma campanha para que as autoridades competentes ajam, pois até agora nada foi feito, embora as mulheres tenham feito a denúncia - provavelmente há outras vítimas que não o fizeram - na mesma delegacia, a 14a. DP, de Pinheiros, dando detalhes das ações do estuprador, como o local de sua ação e o horário, sempre entre 20h e 22h. Não há policiamento naquele local nem iluminação, além do que o mato não é aparado, local onde provavelmente ele se esconde.

Fizemos um cartaz que espalhamos pela USP informando as mulheres do que ocorreu, para que todas nos protejamos, informando nossas colegas estudantes e trabalhadoras da USP. Pedimos também àquelas companheiras que também foram vítimas de estupro que o denunciem, pois isto é essencial para que a justiça seja feita e todos os agressores sejam presos e condenados. Por mais difícil que seja, é preciso denunciar. A culpa não é nossa, não temos porque sentir vergonha. Não podemos admitir que sejamos cerceadas, porque somos mulheres, em nosso direito/necessidade de realizar o simples trajeto da universidade para casa/trabalho.

Sabemos de outros casos no interior da própria universidade, mas raramente as denúncias são feitas publicamente, e a universidade cala-se quanto à sua responsabilidade pela investigação e punição.

Estamos enviando uma carta às diretorias de unidade, reitoria, pró-reitorias e prefeitura do campus aqui da USP, para que também exijam atitudes da polícia, afinal, os estupros ocorreram com estudantes e no acesso que liga a USP à Estação de Trem. Enviamos cartas de pressão também para a 14a. DP, a Academia de Polícia, a Secretaria do Estado de Segurança Pública, a Ouvidoria da Polícia Militar, a Delegacia da Mulher da Zona Oeste e para a CPTM, responsável pelo transporte de trem na cidade.

Ajudem-nos a romper o silêncio alertando todas as mulheres que conhecemos e que pegam trem na Estação Cidade Universitária e exigindo ação da polícia, telefonando e/ou mandando cartas/e-mails para os órgãos da universidade e autoridades responsáveis pela investigação e punição do(s) criminoso(s).

14a. Delegacia de Polícia:
Rua: Deputado Lacerda Franco, 372, Pinheiros CEP 05418-001 ­ tel. 3031-1777.

Secretaria de Estado da Segurança Pública:
Rua: Albuquerque Lins, 1345, Santa Cecília CEP 01230-001 ­ tel. 3315-0175

Ouvidoria da Polícia Militar: 0800-177-070

Delegacia da Mulher da Zona Oeste Av. Corifeu de Azevedo Marques, 4300 CEP 05340-002 ­ tel. 3768-4664

CPTM: 0800-550-121

Telefone de Informações na USP, para pedir endereço ou telefone da reitoria, diretoria etc.: 3091-4313

Atenciosamente,
Samantha Neves