Queridas amigas e amigos:

Desde CLADEM-Brasil, vimos por meio desta mensagem retomar e atualizar as informações sobre o caso KAISER, dando retorno sobre os resultados positivos dessa ação, que teve o fundamental apoio de todas/os vocês, pessoas e organizações comprometidas com a eliminação de toda forma de discirminação e violência de gênero e de qualquer outra natureza. Estaremos divulgando essas informações na próxima edição circular eletrônica: violência de gênero do CLADEM.

Em janeiro de 2003 o CLADEM-Brasil, com o apoio de várias entidades feministas, encaminhou denúncia ao Ministério Público contra a Kaiser - mais especificamente contra aquela infeliz e desrespeitosa propaganda veiculada em apoios de copo que continham a mensagem "Mulher e Cerveja: Especialidades da Casa" - solicitando "a adoção das medidas cabíveis, a fim de que se determine à referida empresa a imediata retirada de circulação da campanha discriminatória, bem como seja determinada a realização de contra-propaganda, visando a fomentar uma cultura de respeito à igualdade de gênero, com a eliminação de preconceitos e práticas discriminatórias contra a mulher". (VER DOCUMENTO ANEXO)

Acompanhamos o caso junto ao Ministério Público, mais especificamente à Promotoria de Defesa do Consumidor, que instarou um Inquérito Civil para apuração do caso, e preparação para uma eventual Ação Civilo Pública pelos danos difusos e coletivos causados às mulheres através da veiculação de propaganda discriminatória. Em setembro de 2003, por solicitação do Ministério Público, elaboramos uma proposta para um possível acordo de reparação de danos com a Kaiser. Para tanto, elaboramos e difundimos a proposta, coletando e recebendo excelentes sugestões e apoios de organizações da sociedade civil. Seguimos coletando apoios adicionais que resultaram em um total de mais de cem organizações manifestando sua adesão à proposta.(VER DOCUMENTOS ANEXOS)

Finalmente, depois de muitas gestões, em janeiro 2004, um ano após a denúncia incial, logrou-se consolidar a proposta de acordo com a Kaiser. Conforme nossa solicitação, a Kaiser comprometeu-se a fazer um anúncio impresso em homenagem às mulheres e a financiar 5 seminários regionais pelo Brasil. A Kaiser já apresentou um primeiro cálculo estimativo dos custos dos seminários, o qual certamente ficará sob responsabilidade do CLADEM-Brasil realizar. O Minstério Público pediu a manifestação do CLADEM em relação à proposta.

Nós enviamos em fevereiro deste ano de 2004 (VER DOCUMENTO ANEXO) um comunicado para o Ministério Público, sugerindo algumas indicações para os anúncios, no sentido de que fossem publicados em algumas datas específicas importante para as mulheres durante esse ano e também atualizando alguns valores para a realização dos seminários.

Observamos desde já, para que fique muito claro, que como parte desse acordo, na realização dos seminários não poderemos utilizar o nome da Kaiser de nenhuma maneira, mas entendemos que, no presente momento, devemos a vocês uma devolutiva dessa ação exitosa, para a qual o apoio de vocês foi fundamental.

Em anexo vocês encontram o conteúdo de nosso último ofício ao Ministério Público. Estaremos, portanto, dando seguimento a esse caso e realizando os seminarios, para o qual esperamos contar com a colaboração de muitas/os de vocês.

Agradecemos mais uma vez o fundamental apoio que recebemos e queremos compartilhar, nesse momento, os frutos dessa articulação tão exitosa. Entendemos que foi um resultado bastante positivo e praticamente inédito nesse campo, esforço da articulação de organizações da sociedade civil...

Agradecemos seu apoio, esperamos que nos ajude a divulgar essa informação

Um abraço
Valéria Pandjiarjian
coordenadora da área de violencia do CLADEM
E-mail:  violencia@cladem.org
Web: www.cladem.org

Rua Oscar Freire, 1967 apto. 122-A
CEP: 05409-011 São Paulo - SP - Brasil
Tel. (55 11) 30861681 Fax: (55 11) 30621874
E-mail:  lela.alp@zaz.com.br


“MULHER E KAISER: ESPECIALIDADES DA CASA”


As entidades do movimento de mulheres abaixo-assinadas manifestam o mais veemente repúdio à campanha publicitária da Kaiser intitulada “Mulher e Kaiser: Especialidade da Casa”, utilizada na confecção de descanso de copo para cerveja.

Com absoluta indignação denunciamos a tônica discriminatória da campanha, que, ao “coisificar” a mulher, a equipara a uma mercadoria e a um produto de consumo, tal qual cervejas comercializadas.

Esta visão discriminatória afronta a ordem jurídica brasileira, notadamente os parâmetros igualitários da Constituição Federal de 1988, bem como os parâmetros internacionais referentes à eliminação da discriminação contra a mulher. Aniquila ainda a noção de que as mulheres são plenos sujeitos de direitos, dotadas de dignidade.

Solicitamos, assim, ao Ministério Publico, com fulcro nos artigos 127 e 129 da Constituição Federal, a adoção das medidas cabíveis, a fim de que se determine à referida empresa a imediata retirada de circulação da campanha discriminatória, bem como seja determinada a realização de contra-propaganda, visando a fomentar uma cultura de respeito à igualdade de gênero, com a eliminação de preconceitos e práticas discriminatórias contra a mulher.

São Paulo, 07 de janeiro de 2003.

Flávia Piovesan e Silvia Pimentel – CLADEM/Brasil





São Paulo, 01 de setembro de 2003

Ao
Digníssimo Senhor
Dr. Gilberto Nonaka
Promotoria de Justiça do Consumidor
Rua Riachuelo, 115 – 1º andar sala 10
01007-000 – Centro, São Paulo – SP



Assunto: “MULHER E KAISER: ESPECIALIDADES DA CASA”


Prezado Dr. Gilberto:

É com satisfação que o CLADEM-Brasil, seção nacional do Comitê Latino Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher, com o apoio das demais entidades signatárias, encaminha o presente documento a essa Douta Promotoria de Justiça do Consumidor, a fim de que o mesmo seja juntado aos autos do Inquérito Civil e possa servir como subsídio a orientar eventual acordo com a empresa patrocinadora da campanha publicitária denunciada - “Mulher e Kaiser: Especialidades da Casa” –, veiculada por meio da confecção de descansos de copos para cerveja amplamente distribuídos no país.

Atendendo, pois, à solicitação verbal dessa Promotoria de Justiça do Consumidor, as entidades signatárias vêm apresentar as seguintes propostas para eventual acordo visando a reparação de danos morais provocados por publicidade discriminatória patrocinada pela Kaiser:



CONTRAPROPAGANDA

Sugerimos a realização de contrapropaganda patrocinada integralmente pela empresa, visando fomentar uma cultura de respeito à igualdade de gênero, com a eliminação de preconceitos e práticas discriminatórias contra a mulher.

A proposta sugerida vai no sentido de que a contrapropaganda seja feita:

a) por meio da confecção e ampla distribuição no país de descansos de copos para cerveja com frases contra a discriminação às mulheres e em favor da igualdade entre homens e mulheres;

b) por meio de filmes, anúncios e spots publicitários a serem veiculados nos meios de comunicação de massa: outdoor, televisão, rádio, jornais e revistas de grande circulação e alcance no país, os quais contenham imagens, textos e mensagens de conteúdo contra a discriminação às mulheres e em favor da igualdade entre homens e mulheres;

c) sempre contendo referência ou nota adicional de que se trata de contrapropaganda decorrente do presente acordo.

Como contribuição adicional, apresentamos algumas idéias indicativas do tom e espírito da contrapropaganda sugerida e desejada:

 Quem vive as diferenças merece uma Kaiser
 Quem respeita as diferenças merece uma Kaiser
 Quem busca a igualdade merece uma Kaiser
 Respeito às Mulheres: Especialidade da Kaiser
 Cerveja e Respeito às Mulheres: Especialidades da Kaiser
 Igualdade, Dignidade, Respeito à Diferença: Especialidades da Kaiser



 Em mesa que tem Kaiser, mulheres e homens são diferentes, mas não desiguais
 Gosto não se discute... se respeita: eu gosto de Kaiser, por respeito à igualdade, às diferenças e à diversidade
 Kaiser: um brinde à diversidade
 Kaiser: um brinde à igualdade, à diferença e à diversidade
 A Kaiser está revendo seus conceitos e adverte: Mulher não é cerveja
 Mulher não é especialidade da casa! só Kaiser ...

Enfim, que a concepção da contrapropaganda - com seriedade, criatividade, diversão e bom-humor - esteja pautada nos valores de igualdade e não-discriminação, promovendo uma imagem positiva das mulheres e rompendo, definitivamente, com a tradicional, ultrapassada e, acima de tudo, discriminatória estratégia de marketing fundada na associação MULHER-OBJETO.

Manifestamos, ainda, nosso desejo e disposição para contribuir no processo de elaboração da contrapropaganda, por meio de diálogo e consultoria junto ao departamento de marketing da empresa e/ou da agência responsável pela sua elaboração.

Nesse sentido, solicitamos que, especialmente na fase de aprovação da contrapropaganda, anterior à sua veiculação, seja garantida a nossa participação, de forma a evitar que se produzam eventuais equívocos e/ou distorções, bastante comuns quando se pretende transmitir mensagens desta natureza.

SEMINÁRIOS REGIONAIS

Sugerimos, também, como medida pró-ativa de contribuição à promoção da igualdade de gênero e eliminação da discriminação contra as mulheres, que a empresa patrocine integralmente a realização de seminários regionais no Brasil – no Norte, Nordeste, Centro-oeste, Sudeste e Sul - sobre a imagem da mulher na mídia, dirigidos à sensibilização e capacitação:

a) de pessoal ligado à área de mídia e comunicação, propaganda e marketing, jornalistas, publicitários/as, etc...;

b) de ONGs (organizações não-governamentais), com foco para o monitoramento da mídia;

c) que inclua as perspectivas de gênero, étnico-racial e de direitos humanos, com sistematização da experiência para divulgação junto aos públicos citados nos itens a) e b), bem como ao corpo docente e discente de faculdades de comunicação do país.

Desde já, colocamo-nos à disposição para contribuir à elaboração e execução de projeto voltado à realização dos referidos seminários no país, estabelecendo parcerias e apoios junto às entidades signatárias e outras comprometidas com a temática, com o fim de garantir o adequado cumprimento da proposta.

Sem dúvida, as propostas apresentadas não são exaustivas e não impedem a utilização de outros meios e formas de veiculação da contrapropaganda sugerida, bem como de outras atividades voltadas à promoção da igualdade de gênero e contra a discriminação às mulheres.

Por fim, cabe lembrar que as propostas aqui apresentadas estão alinhadas com as mais recentes recomendações do Comitê das Nações Unidas sobre a Eliminação da Discriminação contra a Mulher (Comitê CEDAW) ao Estado Brasileiro no documento CEDAW/C/2003/II/CRP.3/Add.2/Rev.1, de 18 de julho de 2003, o qual, em seus parágrafos 33 e 34, estabelece, respectivamente:

“O Comitê expressa sua preocupação com a evidente persistência de visões conservadoras e estereotipadas, comportamentos e imagens sobre o papel e responsabilidades de mulheres e homens, os quais reforçam um "status" inferior das mulheres em todas as esferas da vida”.

“O Comitê recomenda que políticas sejam desenvolvidas e que programas dirigidos a homens e mulheres sejam implementados para ajudar a garantir a eliminação de estereótipos associados aos papéis tradicionais na família, no trabalho e na sociedade em geral. Recomenda, também, que os meios de comunicação (mídia) sejam encorajados a projetar uma imagem positiva das mulheres e da igualdade no status e nas responsabilidades de mulheres e homens, nas esferas pública e privada”.
Estamos confiantes no acolhimento pela empresa das propostas aqui apresentadas, as quais, devidamente implementadas, trarão benefícios a todos os atores envolvidos e à sociedade em geral, e em especial, representarão um avanço para um sério e real enfrentamento da problemática da discriminação em relação às mulheres, em inédita e histórica ação conjunta entre Ministério Público, empresa e sociedade civil.

Atenciosamente


Silvia Pimentel
coordenadora nacional do CLADEM-Brasil
Rua Barbosa Lopes, 350
CEP: 04720-000 Granja Julieta
São Paulo - SP - Brasil
Tel: (011) 51811636
Fax: (011) 51811640
E-mails:  cladem@uol.com.br e/ou  cladembrasil@cladem.org
Web: www.cladem.org


Entidades signatárias do documento (EM ANEXO)






 ADVOCACI – Advocacia Cidadã pelos Direitos Humanos, por Maria Beatriz Galli, coordenadora executiva (Rio de Janeiro, RJ)
 AGENDE – Ações em Gênero, Cidadania e Desenvolvimento, por Marlene Libardoni, diretora executiva (Brasília, DF)
 ANIS: Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero, por Fabiana Paranhos, diretora (Brasília, DF)
 Articulação de Mulheres Brasileiras/SP, pela equipe de coordenação (São Paulo, SP)
 Articulação de ONGs de Mulheres Negras Brasileiras, por Nilza Iraci (São Paulo, SP)

 Casa da Mulher Lilith (São Paulo, SP)
 Católicas pelo Direito de Decidir, por Dulce Xavier, coordenadora de comunicação (São Paulo, SP)
 CEMINA -Comunicação, Educação e Informação em Gênero, por Madalena Guilhon (Rio de Janeiro, RJ)
 Centro Dandara de Promotoras Legais Populares, por Letícia Massula (São José dos Campos, SP)
 CEPIA – Cidadania, Estudos, Pesquisa, Informação e Ação, por Leila Linhares, diretora (Rio de Janeiro, RJ)
 CFEMEA – Centro Feminista de Estudos e Assessoria, por Iáris Ramalho (Brasília, DF)
 Coletivo de Mulheres Afrodescendentes de Cabo Frio – ACOTIRENE, por Margareth Ferreira, diretora (Cabo Frio, RJ)
 Comissâo de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal de São Paulo, por sua presidenta Veredora Flávia Pereira (PT)
 Defensora Pública/RJ, por Rosane Reis Lavigne (Rio de Janeiro, RJ)
 Fala Preta - Organização de Mulheres Negras, por Deise Benedito (São Paulo, SP)
 Federation Internationale Des Femmes des Carrieres Juridiques, por Sylvia Maria von Atzingen Venturoli Auad, conselheira (seção Brasil)


 Geledés - Instituto da Mulher Negra, por Solimar Carneiro (São Paulo, SP)
 GEM/UFBA - Grupo de Estudos sobre Saúde da Mulher, por Enilda Rosendo do Nascimento (Salvador, BA)
 GEPEM/UFPA – Grupo de Estudos e Pesquisa “Eneida de Moraes” sobre Mulher e Relações de Gênero, por Maria Luzia Miranda Álvares; Eunice Ferreira dos Santos; Maria Cristina Maneschy; Marineide Almeida; Josinete Lima; Ana Cristina Soares; Elizabeth Raiol; Cristina Cancela; Maria Eunice Guedes (Belém, PA)
 Grêmio Comunitário e Carnavalesco A MULHERADA, por Monica Kalile (Salvador, BA)
 Instituto para Promoção da Equidade, por Valéria Pandjiarjian (São Paulo, SP)
 Instituto Patrícia Galvão - Comunicação e Mídia, por Jacira Melo (Sào Paulo, SP)
 Instituto TERRA VIVA – Mulher, Família e Sociedade (Bauru, SP)
 Loucas de Pedra Lilás, por Gigi Bandler e Ana Bosch (Recife, PE)
 Movimento de Liderança de Mulheres da Zona Noroeste, por Thereza Ferraz (Santos, São Paulo)
 NEIM/UFBa - Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher, por Ana Alice Alcantara Costa, coordenadora (Salvador, BA)
 NIPAS/UFRJ – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa e Ação Social, por Heleieth Saffioti (São Paulo, SP)
 Núcleo de Estudos da Violência/USP, por Wânia Pasinato Izumino (São Paulo, SP)
 Projeto ESPAÇO MULHER, por Elisabeth Mariano
 Rede Mulher de Educação, por Vera Viera, coordenadora executiva (São Paulo, SP)
 Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, por Fátima Oliveira, secretária executiva da Rede, e Mônica Maia, coordenadora de comunicação (Belo Horizonte, MG)


 REDOR - Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos sobre a Mulher e Relações de Gênero, por Cecilia Ma. Sardenberg (Salvador, BA)
 THEMIS – Estudos Jurídicos e Assessoria de Gênero, por Rubia Abs Chiot (Porto Alegre, RS)
 TVer, por Rachel Moreno (São Paulo, SP)

 UBM - União Brasileira de Mulheres, por Kátia Souto, coordenadora geral (São Paulo, SP)

São Paulo, 08 de setembro de 2003
Ao
Digníssimo Senhor
Dr. Gilberto Nonaka
Promotoria de Justiça do Consumidor
Rua Riachuelo, 115 – 1º andar sala 10
01007-000 – Centro, São Paulo – SP

Assunto: “MULHER E KAISER: ESPECIALIDADES DA CASA”

Prezado Dr. Gilberto:

O CLADEM-Brasil, seção nacional do Comitê Latino Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher, tem a satisfação de encaminhar apoios adicionais das entidades signatárias ao documento referente à proposta de acordo com a empresa patrocinadora da campanha publicitária denunciada - “Mulher e Kaiser: Especialidades da Casa”, enviado a essa Promotoria de Justiça do Consumidor no último dia 01 de setembro.

Assim, somando-se os apoios iniciais enviados (35) com os encaminhados neste momento (70), o referido documento conta com o apoio de 105 entidades signatárias, de diversas partes do país.

Atenciosamente

Silvia Pimentel
coordenadora nacional do CLADEM-Brasil
Rua Barbosa Lopes, 350
CEP: 04720-000 Granja Julieta
São Paulo - SP - Brasil
Tel: (011) 51811636 Fax: (011) 51811640
E-mails:  cladem@uol.com.br e/ou  cladembrasil@cladem.org
Web: www.cladem.org

Apoios adicionais de entidades signatárias do documento
ABIA - Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS, por sua diretora Cristina Pimenta (Rio de Janeiro, RJ)
Acorda Mulher, por sua coordenação
ACMUN - Associação Cultural de Mulheres Negras, por sua diretora executiva Elaine Oliveira Soares (Porto Alegre, RS)
ADESDI - Agencia de Desenvolvimento Econômico e Social de Dores do Indaiá, por Sônia Maria
AMB – Articulação de Mulheres Brasileiras, por Silvia Camurça, secretária executiva da AMB (Recife, PE)
APAVV - Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência, por Maria da Penha Maia Fernandes (Fortaleza, CE)
Associação Alagoana Pró-Mulher, por sua presidente Terezinha Ramires
Associação Casa da Mulher Catarina, por sua diretora Magda Duarte dos Anjos Scherer - Diretora (Florianópolis, SC)
Associação Juizes para a Democracia (AJD), por Kenarik Boujikian Felippe (São Paulo, SP)
Associação para Pesquisa e Promoção da Saúde e dos Direitos da Mulher - Gesto&Ação, por sua presidente Carmen
CACES - Centro de Atividades Culturais, Econômicas e Sociais, por Claudia Bonan (Rio de Janeiro, RJ)
Centro das Mulheres do Cabo/PE, por Micheline Américo (Cabo de Santo Agostinho, PE)
CENTRO DE DIREITOS HUMANOS DE CRISTALÂNDIA, por Deusimar Santana
Centro de Direitos Humanos Pe. Josimo, por sua coordenadora Concenição Amorim (Imperatriz, MA)
CENTRO DE DEFESA DA VIDA, por seu presidente Manoel Rodrigues Barbosa Neto (Campinas, SP)
Cnegra – Grupo de Mulheres Negras, por Carmem Sacramento (Salvador, BA)
Coletivo Feminista Sophia da Unesp/SP, por Giane Boselli (Marília,SP)
Comissão da Mulher Advogada da OAB/SP, por sua presidente Maria das Graças Perera de Mello (São Paulo, SP)
Comissão de Mulheres de Sorocaba e Curso de Promotoras Legais Populares de Sorocaba, pela Deputada Federal Iara Bernardi (Sorocaba, SP)
Comitê Estadual da Marcha Mundial de Mulheres (São Paulo, SP)
COMITÊ NACIONAL MULTIPARTIDÁRIO DE MULHERES, por Muna Zeyn (São Paulo, SP)
Conferência das Religiosas do Brasil - CRB Regional Salvador, por sua presidente, Irmã Mary Elizabeth Bednarek (Salvador , BA)
Conselho Estadual da Condição Feminina de São Paulo (CECF/SP), por sua presidente Maria Aparecida de Laia (São Paulo, SP)
Conselho Municipal dos Direitos das Mulhres de Imperatriz – Ma, por sua presidente Conceição Amorim (Imperatriz, MA)
COPATIORÔ (Conceição do Araguaia, PA)
CTA-Consultant, Trader and Adviser
CUNHÃ – Coletivo Feminista (João Pessoa, PB)
DJUMBAY, por Rebeca Oliveira Duarte (Recife, PE)
Fé-minina - Movimento de Mulheres de Santo André, por Maria Cristina Pache Pechtoll (Santo André, SP)
Fundação Friedrich Ebert FES/ILDES, por Fernanda Papa (São Paulo, SP)
Grupo Curumim - Gestação e Parto, por Paula Viana, da Coordenação Geral (Recife, PE)
GRUPO VIDA de Santo Ângelo, por sua coordenadora Maria Elena Girardi
Fórum de Entidades Autônomas de Mulheres de Alagoas, por sua coordenadora Terezinha Ramires
Fórum de Mulheres de Salvador, por Maria Helena (Salvador, BA)
Fórum Popular de Mulheres do Paraná, por sua coordenadora Vilma Kaiel e vice-coordenadora e Ligia Mendonça (Curitiba, PR)
IMENA - INSTITUTO DE MULHERES NEGRAS DO AMAPA, por Maria das Dores Almeida (Amapá)
Instituto Nacional de Educação para a Paz e para os Direitos Humanos (INPAZ), por Oriana White (São Paulo, SP)
Instituto PAPAI, por Benedito Medrado, Karla Galvão, Jorge Lyra e Pedro Nascimento (Recife, PE)
Maria Mulher – Organização de Mulheres Negras, por Maria Conceição Lopes Fontoura, presidenta (Porto Alegre, RS)
Movimento Mídia da Paz, por Rosa Alegria e Oriana White (São Paulo, SP)
Movimento Mulher e Cidadania de Santa Cruz do Sul, por Elis Regina
Movimento Mulheres pela P@Z!
MUSA - Mulher e Saúde - Centro de Referência de Educação em Saúde da Mulher (Belo Horizonte, MG)
MUSA - Programa de Estudos em Gênero e Saúde (ISC/UFBA), por Estela Aquino (Salvador, BA)
MV - Consultoria de Educação em Gênero e Meio Ambiente, por Moema L. Viezzer (Toledo, PR)
Nada Frágil - Grupo de Mulheres Jovens (Brasília, DF)
NIJINSKI ARTS INTERNACIONAL e.V.-Berlin, por Gudrun Katharina Henges Santos (Adauto de Souza Santos, Berlin, Alemanha)
NOVA Pesquisa e Assessoria em Educação, por Antonio Carlos de Oliveira, Coordenação Executiva (Rio de Janeiro, RJ).
NÚCLEO DE DIREITOS HUMANOS IRMÃ ODÉLIA KLOC
NÚCLEO DE DIREITOS HUMANOS DE DUERÉ
NÚCLEO DE DIREITOS HUMANOS DE FORMOSOS DO ARAGUAIA
NÚCLEO DE DIREITOS HUMANOS DE ROSALÂNDIA
Núcleo de Estudos e Pesquisa em Saúde e Relações de Gênero da UNIFESP, por Eleonora Menicucci de Oliveira, Lucila C. Amaral Vianna, Janine Schimer, Ana Lúcia Pereira, Karina Morele, Luciene Barbosa, Meyre Fernadez (São Paulo, SP)
Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Gênero, Idade e Família da Universidade Federal do Ceará (NEGIF/UFC), por Célia Gurgel (Fortaleza, CE)
Programa GRAL/Gênero, Reprodução e Liderança da Fundaçao Carlos Chagas, por Albertina Costa (São Paulo, SP)

Projeto ATITUDE CONTRA A VIOLÊNCIA da BEMFAM - Bem Estar Familiar no Brasil, por Renato Quemmel
Rede DAWN-Development Alternatives with Women for a New Era Brasil, por sua coordenadora Sonia Correa (Rio de Janeiro, RJ)
Rede Internacional de Comunicação CTA-JMA, por Amyra El Khalili
REPEM - Red de Educación Popular entre Mujeres de America Latina y Caribe - Região Brasil
ReHuNa - Rede pela Humanização do Parto e Nascimento, por Daphne Rattner, da Secretaria Executiva (São Paulo, SP)
Secretaria Estadual de Mulheres do Partido dos Trabalhadores de Pernambuco, por Flávia Verçoza
Secretaria Nacional de Políticas para Mulher da Força Sindical, por Neuza Barbosa de Lima (São Paulo)
Serviço à Mulher Marginalizada-SMM, por Priscila Siqueira (São Paulo, SP)
SINDIPROESP - Sindicato dos Procuradores do Estado, das Autarquias, das Fundações e das Universidades Públicas do Estado de São Paulo, por Antonio Maffezolli (São Paulo, SP)
SINDIVEST – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Vestuário da Baixada Santista, Vale do Ribeira e Litoral Paulista, por sua presidente Ruth Coelho Monteiro (Santos, SP).
Sociedade dos Saberes Femininos - SSF, por Rosa Alegria e Oriana White (São Paulo, SP)
SOF - Sempreviva Organização Feminista (São Paulo, SP)
SOS CORPO - Gênero e Cidadania, por seu colegiado de coordenação: Betania Ávila, Solange Rocha, Eleny Xavier, Ana Paula Portella, Taciana Gouveia e Márcia Larangeira (Recife, PE)
União de Mulheres de São Paulo, por sua presidente Dinalva Menezes Castro Tavares (São Paulo, SP)
UNIFEM/CONE SUL, Fundo das Nações Unidas para o Desenvolvimento das Mulheres, por Júnia Puglia, Oficial de Programa (Brasília, DF)