Longe de ser uma exceção no modo de vida dos primeiros cristãos, as passagens de Atos 2:42-47 e 4:32-35, configuram um retrato fiel de como eles viviam no tempo em que o Novo Testamento foi escrito, inclusive ao longo do ministério de Paulo. Esta forma cristã de viver era centrada nos ensinos de Jesus Cristo e dos apóstolos.

Os cristãos do primeiro século praticavam a dissolução voluntária da propriedade privada, de modo que os benefícios da sociedade eram distribuídos de tal forma que cada um recebia conforme sua necessidade e cada um dava conforme sua capacidade.

Esse compartilhamento de bens e dons também foi usado para descrever idéias de indivíduos e grupos que advogavam a aplicação de tal política em escala mais ampla, e em seu esforço para abolir o capitalismo recebeu o nome de "comunismo".

O sentido da palavra "comunismo" prevaleceu até 1917 quando, devido aos métodos e da ação do partido bolchevique, perdeu sua conotação original de associação voluntária, passando a ser associado com seu oposto, a coersão.

A dissolução voluntária (não coercitiva) da propriedade privada não foi inventada pelos cristãos primitivos, foi praticada por coletores, tecelãos e caçadores desde o neolítico, e por muitas ordens de monges, taoistas, jainistas, hindus e budistas.

A passagem abaixo não deixa dúvida, os primeiros cristãos viveram em comunidades organizadas de acordo com esse princípio.

"Da muldidao dos que creram, uma era a mente e um o coracao. Ninguém considerava unicamente sua coisa alguma que possuísse, mas compartilhavam tudo o que tinham. Com grande poder os apóstolos continuavam a testemunhar da ressurreição do Senhor Jesus, e grandiosa graça estava sobre todos eles. Não havia pessoas necessitadas entre eles, pois os que possuiam terras ou casas as vendiam , traziam o dinheiro da venda e o colocavam aos pés dos apóstolos, que o distribuiam segundo a necessidade de cada um". (Atos 4:32-35; veja também 2:42-47).

O movimento dos Diggers na Inglaterra no ano 1649 pode também ser descrito como um exemplo de vida comunal compartilhada. Os Diggers estavam preocupados particularmente com a posse coletiva da terra.

Desde o início do século XX até os dias atuais uma ligeira forma de comunalismo tem sido praticada em alguns kibbutzim (comunidades coletivas) de Israel.