Crescimento da venda de veículos e dos congestionamentos.

Dados atuais do Detran dão conta de mais de 1 milhão de veículos
registrados no órgão , somente em Curitiba , e relacionado a isso piora o
problema que Curitiba já vem enfrentando : congestionamento.
Fato curioso registrado pelo órgão e presenciado pelos curitibanos é a
pequena lotação dos veículos, na sua grande maioria são projetados para
transportar de 3 a 5 passageiros, mas que geralmente são ocupados por 1 ou
duas pessoas além do motorista ,o que gera uma desnecessária frota de
veículos em circulação.
A facilidade na aquisição de veículos , com financiamentos a perder de
vista, descontos especiais ,e diversificação de modelos , colaboram para a
crescente venda de veículos novos e usados.
A Assovepar , órgão que representa as lojas e revendas de veículos no Paraná
, apresenta dados que demonstram a facilidade nos financiamentos tem levado
mais de 83% das vendas se concretizarem , porém os financiamentos
facilitados acabam gerando um vínculo grande, geralmente de 36 meses do
proprietário com o veículo , atrasando a próxima aquisição.
Os pontos caóticos de congestionamento na cidade estão crescendo ,
segundo dados do Diretran , órgão municipal responsável pela coordenação do
trânsito, medidas como: a extinção das faixas de estacionamento na Avenida
Visconde de Guarapuava , e a mudança nas ruas Júlia da Costa e Princesa
Izabel entre as ruas Desembargador Motta e Euclides da Cunha , a Júlia da
Costa ficando com sentido único em direção ao bairro, e a Princesa Izabel
que agora tem mão única em direção ao Centro , irão surtir grande efeito nos
congestionamentos na região .
O grande número de veículos em circulação nas ruas de Curitiba alerta
também para as questões ambientais: a poluição ocasionada pela emissão de
dióxido de carbono no ar pelos veículos automotores, o destino de todo o
lixo produzido pelos veículos (pneus,óleo,peças, etc), e a preocupação com
o consumo excessivo de combustíveis não-renováveis como o diesel e a
gasolina .