A História dos Conflitos - Parte 1

Uma introdução aos conflitos de hoje


Os conflitos atuais no Oriente Médio, entre Árabes e Israelenses, não é um fato recente. Os conflitos são em maior parte causados pela migração de judeus para a Palestina, a determinação deles no Estado de Israel e a relação do Estado de Israel com seus vizinhos árabes.

Apesar de envolver uma área não muito grande e população relativamente pequena, os conflitos são o foco da mídia internacional e atenção diplomática. Alguns grupos acreditam que os conflitos atuais sejam o nascimento de uma breve ?guerra entre civilizações?, entre o mundo ocidental e o mundo árabe, ou muçulmano.

Além de países árabes e Israel, diretamente ligados nos conflitos, alguns outros países se sentem envolvidos também, devido a razões como ligação cultural ou religiosa ao Islã ou cultura árabe, Cristianismo, Judaísmo, ou por razões de ideologia ou recursos estratégicos. Esses incluem países como os Estados Unidos e o Irã.

O conflito entre árabes e Israel é um fenômeno moderno, que data desde o final do século XIX. O conflito se tornou um grande problema internacional após o colapso do Império Otomano, em 1917, e continua até hoje. Os conflitos provocaram, pelo menos, cinco grandes guerras e um número maior de conflitos menores. Também foram o motivo das duas grandes intifadas palestinas, que são movimentos de libertação. Além disso, o conflito é um dos motivos que motivam a al-Qaeda a atacar o mundo ocidental.

O Colapso do Império Otomano

O início de um novo Oriente Médio

O período final do Império Otomano aconteceu durante a Segunda Era Constitucional do Império Otomano.

Durante a Primeira Guerra Mundial, na região do Oriente Médio, a batalha aconteceu entre as Forças Aliadas, formadas pelos impérios Ingleses e Russos, e as Forças Centrais, formada basicamente pelo Império Otomano.

O Império Otomano teve muito sucesso no início da guerra. Os Aliados foram derrotados nas batalhas de Galipoli, Iraque e Balcãs, invasões navais inglesas foram superadas e alguns territórios anteriormente perdidos foram reconquistados. A Revolução Russa também foi um fator favorável para a reconquista de territórios Otomanos, como Trabzon e Erzurum.

Porém, ofensivas contínuas dos ingleses provaram ser demais, e o Império Otomano foi então derrotado, em 1917. As tropas Aliadas vitoriosas foram lideradas pelo general inglês Edmund Allenby, com apoio das revoltas árabes e assistência da República da Armênia, que teve seu estado declarado durante a guerra e anexou territórios Otomanos.

O Tratado de Sévres, em 10 de agosto de 1920, culminou com o final do Império Otomano. Seria um tratado de paz entre o Império Otomano e a Entente e Poderes Associados, que nunca foi de fato assinado por Mehmed IV dos Otomanos, em função de ser tão severo e impraticável. Em função disso, revolucionários turcos se negaram a aceitar o tratado, e partiram para a Independência da Turquia.