Um dos acontecimentos mais polêmicos e possuídos de incógnitas do Brasil foram os anos ditatoriais implementados posteriormente ao golpe de 64. Os fatos ocorridos desta época historicamente desde a fase da implantação da república, e luta pela industrialização, o período presidencialista de Getulio Vargas e que acentuam com Juscelino Kubitschek, o qual deixou dividas abundantes para o seu sucessor Jânio Quadros, Jânio era maçom da loja [LIBERTÁS] de São Paulo, se afastou em 1947 e retornou a atividade maçônica em 1985.

O golpe foi aprovado pelos conspiradores reunidos, igreja católica, o empresariado e a oficialidade militar comandada pelo Coronel maçônico Golbery do Couto e Silva, as duas da manhã do dia 2 de abril.

Às 3h45min, Mazzili afinal foi empossado. Logo em seguida, desembarcavam tropas de elite para manter o poder. O golpe estava consumado. Um dos primeiros atos de Ranieri Mazzili, dos comandantes Artur Costa e Silva, Francisco Correa Melo e Augusto Rademaker, foi a implantação do AI-1 que suspendia os direitos constitucionais. A maçonaria esta dividida em duas lojas: as Grandes Lojas, de origem inglesa, e Grandes Orientes, de origem francesa, uma invalida a outra. A maçonaria era intolerante com ao envolvimento de extremismos de esquerda. Opunha-se a passos contrários ao governo democraticamente instituído. A maioria dos maçons apoiou inicialmente o golpe militar de 64. O maçônico Golbery do Couto e Silva foi o coronel responsável pela criação dos IPES cuja função era angariar o apoio da sociedade para o novo governo. No lado dos IPES e IBAD estava uma sofisticada e multifacetaria campanha política, ideológica e militar.

Tinham o poder da manipulação de opinião e da guerra psicológica, ou ao menos discretas aos olhos de alguns. Golbery, o intelectual militar, formava um grupo de pessoas que ocupavam cargos de alto teor em multinacionais, continha tecno?empresários nos aparelhos poíticos e burocráticos do Estado, era um instrumento de extremo valor para o estabelecimento de um complexo financeiro e industrial integrado de produção e domínio [a elite orgânica].

O encontro da maçonaria ocorrido em São Paulo em 1972. Nem todos eram a favor do alinhamento com os militares, mas tinham que seguir as orientações da ordem. A maçonaria, juntamente com os militares, expurgou todos que representavam algum tipo de ideal ligado à esquerda, mesmo que fosse do tipo moderado. No governo de Ernesto Geisel, no dia 15 de maio de 1974, o próprio recebe a visita do grão-mestre sendo senador e do partido situacionista, leu um ofício em que o Grande Oriente reafirmava seu apoio ao regime de governo que se havia instalado em 1964.