O Brasil é o quarto país com maior desigualdade social, sendo isso, o resultado da grande exploração ocorrida há séculos atrás pelos diversos países imperialistas que usavam e abusavam da classe menos favorecida.

Pesquisas realizadas pelo IDH (índice de desenvolvimento humano), no ano de 2008, demonstram a alta concentração de riqueza nas mãos dos ricos, onde mais de 50% da riqueza nacional era detida pelos bem sucedidos, ocasionando assim, uma grave crise de pobreza nacional: os ricos com muito mais e os pobres com muito menos.

O país nunca irá progredir enquanto houver desigualdades sociais envolvendo a classe pobre com a classe rica, pois, enquanto o Brasil cresce economicamente, a renda adquirida é somente distribuída entre os grandes capitalistas, que estão preocupados somente, em seu benefício próprio.

O Brasil possui o título de país-destaque da América Latina, com relação à economia, mas, por outro lado, em relação à grande concentração de renda e desigualdades sociais, encontra-se em uma posição pior do que os países da África.

Solucionar esse quadro dramático em que o Brasil se enquadra, é quase impossível, contudo, é necessário que os governantes adquiram consciência e estabeleçam uma política de igualdade entre ricos e pobres, ou, pelo menos, chegue perto desse ideal.