A realidade existente em nosso sistema prisional não funciona, dentre outras razões, porque desrespeita e muitas vezes é totalmente contrária ao ordenamento jurídico vigente. O princípio que alude à dignidade da pessoa humana é esquecido por completo, diversos abusos são continuamente praticados e o foco da recuperação é substituído pela "segregação" conivente e corrupta que transforma os presídios brasileiros em um campo de práticas controvertidas que alimentam o crescimento da criminalidade.
Apesar da indiferença demonstrada por grande parte da sociedade com relação ao tema, havendo até aqueles que, estupidamente, se sentem vingados diante das condições desumanas a que estão submetidos os presos, a situação dos presídios está no âmago das questões sociais mais urgentes que atingem nosso país.
É fundamental que se dê um tratamento sério ao tema, respeitando- se absolutamente a dignidade humana que inclui a higiene, a saúde, a educação, a conscientizaçã o e o trabalho.