Carta de FHC para o Blog de Gabriel Azevedo:

.

"Durante a semana passada, vivi cinco dias incríveis. Realizamos, na Faculdade de Direito Milton Campos, o Congresso Pensando o Brasil, que contou com palestrantes que mencionavam as reformas essenciais ao país.

Logo na segunda-feira, recebi o pessoal do Ação Jovem, um grupo de amigos paulistas que tem como objetivo desmistificar o mercado para juventude. Encontramo-nos com o Governador Aécio Neves no Palácio da Liberdade, onde dele ouvimos incentivos e palavras de apoio. Sou um forte apoiador do grupo e acho que Minas não pode ficar de fora dessa.

Enquanto eu estava com o Governador no Palácio, meus amigos do Diretório Acadêmico recebiam o Presidente Fernando Henrique Cardoso no Aeroporto de Confins. O Presidente iria participar da abertura do Congresso.

Quando se trata de FHC, é melhor se preparar. Aumenta a imprensa, aumenta o pública, aumenta o foco. Saindo do Palácio, tive notícias que o Presidente já estava a caminho da Faculdade de Direito Milton Campos.

Sem delongas, a palestra foi incrível. As pessoas aplaudiam de pé sem parar. Foi incrível contar com um dos 100 maiores intelectuais do mundo, único brasileiro a figurar na lista. Todos os vídeos podem ser conferidos no post abaixo ou no canal do youtube: www.youtube.com/gabrieldeazevedo. Terminada a palestra fui levar o Presidente ao Palácio das Mangabeiras.

A conversa ao longo do caminho foi permeada por assuntos envolvendo o PSDB. Demos boas gargalhadas. A impressa, pouco antes, queria saber se o tal acordo entre Aécio e Serra era verdade.

?A vantagem do artigo do jornalista é que ele tem um ano para ser desmentido? Ou mais.? Comentávamos. ?Aécio não liga para isso. Ele sabe como é. E no mais, eu e Aécio somos muito parecidos. Ele é conciliador. Se a notícia fosse ao contrário?? comentou o Presidente.

Fernando Henrique é um Presidente cheio de gadgets. Sacou do bolso um blackberry e um celular, disparando mensagens o tempo todo. ?Presidente, o site do PSDB é uma porcaria. E o pior, é uma porcaria há mais de três anos. Não tem interatividade, não tem conteúdo, e é feio.? Cutuquei. ?É péssimo.? Concordou ele.

Falamos sobre educação e ele perguntou sobre a qualidade do Colégio Militar. Contou-me que o pai e o avô eram militares oriundos da arma de cavalaria.

?O problema das prévias é que elas acirram o processo? ? disse FHC. ?E o problema da não realização deles é a falta de participação das bases. Eu lhe afirmo, Presidente: hoje, para um militante tucano, os canais de interação com o partido inexistem. Só vejo certa espécie de bafafá na proximidade das eleições. De resto, estamos de bico calado. Não é assim que vamos chegar juntos em 2010?. ?Eu prefiro, se for para ter, um modelo que envolva delegados?. Finalizou FHC.

O Presidente me contou outras coisas de rachar bico de qualquer tucano. Deixa para depois? Ao chegar no Palácio, Aécio aguardava para, como ele disse, ?tomar aulas enquanto jantava?.

Aécio, com seu jeitão sempre simpático perguntou como tinha sido a palestra e o Presidente apresentou ótimos comentários. Na porta do Palácio, o pessoal do Diretório Acadêmico todo encabulado. Como eu já não tenho desses protocolos estava lá batendo papo na sala de estar do Mangabeiras, sem notar que meus amigos estava super tímidos com a presença de dois tucanos tão emplumados. Aécio chamou todo mundo para dentro e foi deixando eles mais à vontade.

O Governador explicou mais uma vez que adoraria participar do evento, mas dá para ter idéia de como é a agenda dele. Fica para próxima. Depois de uns quinze minutos de conversa seguimos para o restaurante Maria das Tranças, o favorito do Presidente Bossa Nova.

Lá, Maria Estela, filha de JK, animava o encontro? Toda a direção da Faculdade de Direito, alguns professores e o Diretório Acadêmico imergiu no cenário favorito do Presidente Juscelino, com galinha ao molho pardo e seresta.

Depois da noite longa e divertida, recebemos o advogado Sacha Calmon, para falar sobre a Reforma Tributária. E na quarta-feira, foi a vez do Vice-Governador do Estado de Minas Gerais, Professor Antônio Augusto Junho Anastasia, falar sobre a reforma administrativa. Além de brilhante, o professor é um poço de bom humor. Estar ao lado dele é certeza de cultura e diversão. A palestra foi o detalhamento da alma do choque de gestão, que nada mais é que garantir que o Estado atue cada vez mais, de maneira cada vez mais eficiente, em benefício do cidadão.

Terminada a palestra, fomos jantar no restaurante ?O Dádiva?. Aí, nos deixamos de rir, para começar a gargalhar. O professor contou-nos causos antigos envolvendo o Professor Plínio Salgado, outra fera em direito administrativo. Entre um vinho e outro, o Professor Anastasia me propôs dois desafios, já que eu era tão cavalariano? Qual era o nome do filme que melhor retratava a cavalaria e qual o nome do regimento de cavalaria do vice-rei da índia. Pois eu, esse cavalariano de araque, não consegui responder nenhuma. Haverá revanche. Aliás, já houve e eu perdi? Resolvi dar o troco e perguntei qual havia sido a última carga de cavalaria da história. Ele mencionou qual, a data e o comandante. Vou buscar uma bem difícil na próxima vez. Aos curiosos pelas respostas vale o Google que eu não tinha na hora. Finalizamos tudo com um brinde rumo à 2010, né, Professor?

Na quinta recebemos o 50º Prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel que começou logo afirmando: ?Quando o Gabriel me chamou, pensei comigo: estou no meio de um ninho de tucanos?. No que devolvi: ?Afinal, eu sabia que o senhor ia se sentir em casa?, depois confessando que o primeiro voto desse tucaninho tinha sido no PT, nas eleições para prefeito de 2004, nele mesmo. Depois recuperei o juízo. Outra palestra mutio boa, sobre a reforma macroeconômica.

Na sexta, o tema foi reforma política e o tema foi muito bem abordado, principalmente analisando o projeto que tramita na Câmara. Espero que todos os mais de 500 participantes que lotaram o auditório ao longo dos dias tenham gostado. Daqui uma semana me afasto da presidência do Diretório Acadêmico Orozimbo Nonato. Foi um ano incrível.

O Diretório Acadêmico Orozimbo Nonato, meus caros ? permitam-me este retorno à nossa entidade -, é um cenário vivo e atual do exercício cotidiano desse pressuposto. Aqui, temos como regra a governança corporativa.

Deixamos para trás um período de pouca credibilidade e dificuldade para garantirmos investimentos, que nessa gestão chegaram a 250 mil reais. Recuperando a capacidade de articulação da entidade e com um novo modelo de gestão, atraímos novos investimentos e parceiros a cada dia. Esse evento estava previsto em um calendário de atividades que previa um ano de ações voltadas aos acadêmicos, cujo objetivo era customizar para atender a todos.

Somos hoje, um Diretório Acadêmico que é referência nacional, inspiração para outras entidades e líder no movimento estudantil. Utilizamos a comunicação como uma das bases da democracia e compreendemos a internet com um pilar de um novo modelo político de participação. Somos transparentes, fiscalmente responsáveis e todas as nossas contas podem ser conferidas em nosso site oficial.

Contagiados por uma sina mineira que permeou belo horizontinos, JK e, agora, Aécio Neves, construímos nosso novo centro administrativo. Dedicamo-nos diariamente à recuperação e modernização da infra-estrutura da Faculdade de Direito Milton Campos. Estimulamos a representatividade e distribuição de tarefas entre o corpo discente. Percorremos quatro das cinco regiões do país, agregando as diversas culturas da nossa terra e oferecendo aos acadêmicos, oportunidades de se unirem enquanto conhecem o Brasil.

Fizemos uma profunda reforma estatutária que ventilou regras antigas e desatualizadas. Concedemos benefícios como forma de estímulo à criação de atletas e monitores. Incitamos a produção de artigos. Realizamos seminários e congressos. Recebemos todos os candidatos a prefeito, debatemos os vinte anos da constituição e propusemos uma segunda orientação vocacional.

Cravamos nossas flâmulas no Pico da Bandeira e compensamos todo o carbono emitido pela instituição através do plantio de árvores na mata atlântica. Arrecadamos mais de três toneladas em doações para institutos parceiros. Não nos apequenamos, sonhamos.

Faço questão de dividir essa experiência com vocês. Digo a todos os jovens que gostam de política: não deixem de participar. Participar de tudo que gostarem ou quiserem. Somos capazes de coisas brilhantes, e para isso basta querermos.

Com uma palestra incrível da qual participei no sábado, fechei 10 metas que apliquei no DACON e vou defender no PSDB. Despeço-me desse post com elas:

1 ? Oferecer comunicação como serviço
2 ? Convidar para a participação
3 ? Envolver com histórias
4 ? Explorar vínculos emocionais
5 ? Recrutar para causas nobres
6 ? Envolver através de polêmicas
7 ? Disponibilizar conteúdo diferenciado
8 ? Levar diversão à vida das pessoas
9 ? Gerar experiências de emersão
10 ? Surpreender sempre

Ah, lógico? E olha que legal a dedicatória que nos deixou o Presidente FHC:

Poucas vezes vi um Diretório Acadêmico com o vigor do DA Orozimbo Nonato e com uma liderança tão visionária e competente. Deixo aqui as minhas mais sinceras congratulações e os votos de que persistam pensando o Brasil e com o ritmo necessário para atrair cada vez mais a juventude em uma cruzada de renovação do Brasil.

Muito cordialmente,
Fernando Henrique Cardoso"