Um patologista afirmou que a dieta de mulher neo-zeolandesa, que incluía oito litros de Coca-Cola por dia, provavelmente contribuiu com sua morte. Segundo o jornal 'The Guardian', a conclusão levou a gigante fabricante de refrigerantes a afirmar que até água pode ser mortal se consumida em excesso.

Natasha Harris tinha 30 anos quando morreu devido a um ataque cardíaco, em fevereiro de 2010.

Dr. Dan Mornin testemunhou em um inquérito, na quinta (19), que Natasha provavelmente sofria de hipocalemia, ou baixo potássio, o que ele acredita ter sido causado pelo consumo excessivo de Coca e má nutrição em geral, de acordo com o jornal 'The Guardian'.

Mornin afirmou que níveis tóxicos de cafeína, um estimulante encontrado no refrigerante, também pode ter contribuído para a morte. O parceiro de Natasha, Chris Hodgkinson, testemunhou que ela bebia entre oito e 10 litros de Coca-Cola todo dia.

"A primeira coisa que ela fazia de manhã era tomar Coca, que ficava ao lado da cama, e a última coisa que ela fazia antes de normir era tomar Coca", disse Hodgkinson. "Ela era viciada."