Quem de fato ajudou os bancos foi o presidente da República Fernando Henrique Cardoso que autorizou, em 1999, o Banco Central a prestar uma ajuda de R$ 1.6BI ao banco Marka e Fonte Cindam.

Isso é o dobro do que agora querem apurar o STF e o Procurador Geral da República, sobre uma possível ajuda de Marcos Valério aos bancos. Na época FHC alegou que autorizara a ajuda para evitar quebradeira no sistema financeiro nacional. FHC foi ironizado na época pela impossibilidade de quebra dos bancos uma vez que os bancos envolvidos eram considerados ?tamburetes?.

Para refrescar a memória do ministro e do procurador, defensores da ordem pública, a maioria dos envolvidos foi condenado, inclusive o banqueiro Salvatore Cacciola, que cumpriu pena. E outros num total de sete, o ex-dirigentes do Banco Central, Francisco Lopes, Cláudio Mauch, Tereza Grossi e Demóstenes Madureira de Pinho Neto. As condenações decorreram de duas ações civis, uma pública, ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) e outra popular.

Já que o tema tem grande importância para nossas autoridades e por isso estão sendo apuradas, não entendemos por que FHC não foi levado aos tribunais.

Esse levantamento não foi feito através da quebra de sigilo na justiça e nem através de arapongas, tudo isso está disponível na internet nos sites de pesquisa.
Vamos lá ministro Joaquim Barboza e Procurador Roberto Gurgel mostrar que a justiça é cega e não dorme!

RIO DE JANEIRO, 05 de novembro de 2012