No dia 31 de outubro de 2012, acontecia um debate sobre a situação fundiária em Roraima e a atuação governamental, com a presença de várias autoridades públicas das três esferas de governo, incluindo a Secretária do Patrimônio Nacional, de vários militantes populares, além de idosos e crianças,. Eis que, lamentavelmente, um companheiro que discursava foi verbalmente agredido e recebeu ordem de prisão.

O feito autoritário partiu de um funcionário do ITERAIMA que, não satisfeito, chamou a polícia. Aparentemente, a motivação do funcionário resultou da denúncia realizada pelo companheiro de que o Instituto de Terras e Colonização de Roraima (ITERAIMA) teria participação direta e indireta em comercialização de terras públicas, privilegiando, assim, aqueles que se beneficiam de negócios imobiliários. Vale frisar que a intervenção do companheiro não foi um ato isolado, nem aleatório, pois denúncias sobre venda ilegal de terras públicas no estado (com a atuação ou conivência do ITERAIMA) chegaram ao Ministério Público de Roraima e à Assembleia Legislativa do estado.

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto repudia, veementemente, o ocorrido! Em Roraima, e todos os lugares onde for possível, continuaremos ativos na luta por moradia digna e urbanização de interesse popular!