"OPERAÇÃO ÁGUAS CLARAS" RESPINGA LAMA NO DEPUTADO JOSÉ GUIMARÃES, O "CAPITÃO CUECA", ALVO DE CHANTAGEM DA OLIGARQUIA "SOCIALISTA" DOS FERREIRA GOMES

Veio à tona nos últimos dias mais um escândalo de corrupção comandado pelo deputado federal José Guimarães (PT-CE), que será líder do PT na Câmara dos Deputados e irmão do ex-presidente do PT, Genoíno Neto, condenado recentemente no processo do chamado mensalão. A operação "Águas Claras" do Ministério Público de São Paulo que investiga empresários acusados de fraudes em licitações de prestadoras de serviço a autarquias de água e esgoto de municípios de quatro estados, São Paulo, Piauí, Ceará e Rio Grande do Sul e o Distrito Federal, revelou através de escutas telefônicas a participação do deputado Guimarães em um grande esquema de corrupção na Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), cujo controle da diretoria é compartilhado entre a oligarquia Ferreira Gomes (PSB), o PMDB e o PT. A operação flagrou citações frequentes de seu nome em diálogos grampeados dos empresários da Allsan engenharia e administração, Reynaldo Costa Filho e Moisés Ruberval Ferraz Filho, que chamam o deputado ora pelo nome, ora por "cueca", ou simplesmente "capitão cueca". O contato de Reynaldo e Moisés na Cagece é o diretor comercial, Antonio Alves Filho, o Cony, indicado para o cargo pelo deputado Guimarães. A Allsan detém um contrato de R$ 8,94 milhões para a prestação de serviços de leitura e emissão de faturas junto à companhia estatal, tendo que para garantir a prorrogação do esquema, pagar propina para Guimarães, através do seu laranja, Cony, que frequentemente mantinha contato e se reunia com Reynaldo e Moisés para receber o dinheiro do esquema.

Leia este artigo na íntegra no BLOG político da LBI:

 http://lbi-qi.blogspot.com.br/