RELATO DA REUNIÃO DE ORGANIZAÇÃO DA MANIFESTAÇÃO AUTÔNOMA E SEM PARTIDOS CONTRA OS ATAQUES DE ISRAEL À FAIXA DE GAZA EM FORTALEZA

21/11/2012

Nós, anticapitalistas autoconvocados, reunimo-nos nesta quarta-feira em Fortaleza com a finalidade de discutirmos, organizarmos e deliberarmos sobre uma manifestação a se realizar no PRÓXIMO SÁBADO, A PARTIR DAS 15 HORAS, NA PRAÇA DO FERREIRA, no centro da cidade, expressando nossa profunda revolta com os ataques atualmente perpetrados pelo estado de Israel (que, como todo estado, volta e meia não consegue disfarçar sua natureza assassina) contra as comunidades enclausuradas na dita Faixa de Gaza, um dos mais terríveis campos de concentração da atualidade.

Em função da urgência que os acontecimentos impõem, decidimos por realizar esta manifestação já neste fim de semana, ainda que seja escasso o tempo para a divulgação. Julgamos, porém que, com o auxílio do maior número possível de amigos e colaboradores, podemos espalhar a notícia da realização deste protesto através, principalmente, das redes sociais da internet e por telefone com aqueles que conhecemos e que julgamos possíveis interessados em unir suas indignações com as nossas, numa verdadeira corrente de comunicação.

Pensamos que nossa manifestação deva ser autônoma, sem personalismos, hierarquias e, portanto, sem a presença de qualquer partido político ou grupo que queira se impor com programas políticos estranhos ao livre poder de decisão coletivo. Aqueles que, pelo contrário, estiverem dispostos a se somar nesta luta numa relação horizontal e direta está convidado a, não somente se fazer presente ao dia da manifestação, mas também a despender seus esforços na própria organização do protesto. Por isso este relato procura apresentar algo sobre o que está sendo planejado para acontecer no ato, para que aqueles que não estiveram presentes à reunião se insiram na organização.

Basicamente, pensamos em montar um painel de fotos e cartolinas onde os que quiserem expressar sua solidariedade aos palestinos possam escrever. Próximo ao painel será estendido um grande pano branco, onde pintaremos a bandeira da Palestina e nela também será franqueada a escrita de mensagens. Levaremos algumas bonecas envolvidas em fraldas, nas quais será jogada tinta vermelha simbolizando sangue. Também será providenciada certa quantidade de balões azuis e brancos (nas cores da bandeira de Israel) para que num momento avancemos sobre eles, estourando-os. Respeitando a natureza não-hierárquica da manifestação, decidimos não levar carros de som ou sequer megafone, expressando nossos gritos com nossa própria potência de voz.

Em geral, foi isso o discutido na reunião. Consideramos que esses encaminhamentos são aqueles possíveis de serem realizados pelos que estiveram presentes, mas é claro que quem queira levar outras formas de expressão de protesto poderá e deverá fazê-lo. Só duas coisas mais: alguém teria uma bandeira de Israel pra levar para o protesto? E outra: alguém sabe como conseguir comprar ou adquirir por outro meio aqueles panos característicos dos palestinos (branco e preto)?