Chama atenção uma notícia vinda do Grande Irmão do Norte: há em curso uma petição de cidadãos americanos que reivindicam separação do governo central de Washington, porque compreendem que o governo não está cumprindo com suas obrigações. A petição já possui mais de 1 milhão de assinaturas, em 39 dos 53 estados americanos.

Começou na Louisiana e espalhou-se rapidamente pelos estados que formavam a antiga Confederação, e logo chegou até aos estados que deram maciças votações a Barack Obama, o que mostra que isto não é uma iniciativa de republicanos descontentes com o presidente, mas de cidadãos descontentes com o governo de um modo geral.

Apoiadores de Obama, o queniano enganador, reagiram com uma petição que reafirma o compromisso de lealdade com Washington, mas essa petição atingiu apenas 30 mil assinaturas em poucos estados. Já a outra petição, só no Texas obteve mais de 100 mil assinaturas, o que já é suficiente para a proposta ser levada até a Casa Branca.

Evidente que a proposta não será aprovada, mas é um claro recado de que muitos americanos não acreditam mais que um governo centralizador e imperialista não os representa de maneira adequada. Ao meu ver, os Estados Unidos passarão nos próximos anos por um processo de desintegração como ocorreu antiga Iugoslávia.

Voltarão os antigos Estados Confederados da América, vários estados proclamarão independência, haverão outras confederações de estados americanos e talvez alguns ainda queiram vincular-se ao Canadá. Pode ser que até mesmo os indígenas queiram constituir seu próprio país, bem como os imigrantes mexicanos queiram a reintegração do sul do país ao México.

Seja o que for que vier, será muito melhor que o atual Império de Washington. Países mais centrados em si mesmos, sem o detestável imperialismo atual. E a proposta de secessão é só o início do fim do Império mais opressivo da História.