É hilário ver as reações dos tucanões à mudança de rumo do país e de seu eleitorado. Nem mesmo com ajuda do MPF e do STF a dupla de partidos mal cheirosa que representa o crime organizado e maçonizado (PSDB/DEM) conseguiu ter um bom desempenho eleitoral. Em São Paulo, os tucanões perderam o controle da capital e provavelmente perderão o governo do Estado. No Brasil o DEM foi o partido que mais encolheu, seguido de perto pelo PSDB, que também encolheu (um pouco menos que seu parceiro é verdade). Mesmo acuado no STF pelo julgamento do Mensalão e na imprensa, que serviu como correia de transmissão dos negócios criminosos do Cachoeira e da oposição (o que não chega a ser surpresa, pois mídia, crime e PSDB sempre estiveram intimamente ligados em Goiás e São Paulo), o PT conseguiu crescer e ocupar mais espaços eleitorais.

A direita tucanocriminosa é tão incompetente que oscila entre defender o golpe de estado e disputar eleições. Mas mesmo não se saindo bem nas eleições não dá abertamente o golpe de estado porque tem medo da reação popular. As Forças Armadas não querem nem ouvir falar do PSDB/DEM, pois foram sucateadas durante a era FHC. Com Lula as Forças Armadas ganharam mais destaque e começaram a ser modernizadas, passando a ocupar uma posição política relevante e de destaque: o compromisso delas com a democracia é evidente, pois até o presente momento não interferiram no processo político e nada indica que venham a fazer isto. A nova ideologia implantada nas Forças Armadas pelo atual Ministro da Defesa excluiu a utilização partidária das mesmas e abandonou o velho ranço do inimigo interno comunista.

Enquanto os tucanões tentam dar as cartas em Brasília e seguem enchendo a burra com ajuda de quadrilheiros como Cachoeira, sempre protegidos pela mídia corporativa de capital aberto ao crime organizado (como Veja, cujo 'caneta' era íntimo do Cachoeira), os seus piolhos ficam piolhando no CMI. Sempre aferrados ao anonimato, pois eles são valentes das sombras (apesar das sombras não serem capazes de deter a luz num ambiente arejado pela democracia).

Sempre recorrendo à irracionalidade e aos ferozes ataques pessoais, como bons covardes que são, os piolhos dos tucanões querem calar qualquer voz que se levante contra a tucanização do Estado. Recorrem para tanto às táticas da intimidação do terrorismo e da ofensa pessoal, tudo sempre vertido num português de duvidosa procedência. Acreditam, coitados, que o Estado é propriedade privada dos tucanões (ou apenas privada deles) por direito divino. A soberania popular inscrita na Constituição Federal eles ignoram ou desprezam, não porque são poderosos e sim porque ainda não resolvemos espremer estes piolhos que seguem infestando a cabeleira do Leviatã brasileiro através dos tucanões.

Todavia, os piolhos dos tucanões não perdem por esperar. Afinal, os tucanões tem sido destroçados nas urnas. Em breve serão também destroçados no Judiciário. E em algum momento os seus piolhos serão enterrados juntos com as carcaças dos seus hospedeiros.

RIP - diremos.