Acredito que o conceito sobre Voto Nulo está um pouco desatualizado, não é desta forma que nós do Movimento Voto Nulo vemos a questão. A Constituição Brasileira, em seus Artigos 1º e 3º, rege sobre o direito dos cidadãos ao pluralismo político, que em um sentido mais amplo, significa a garantia e aceitação de várias opiniões e idéias, respeitando cada uma delas. Rege também que é objetivo fundamental construir uma sociedade livre de quaisquer preconceitos e discriminações. Então, nada mais justo que perguntemos: 'Por que a nossa opinião não está sendo observada? Por que a nossa opinião vem sendo descartada?' Se tem alguém que está errado aqui é com a turminha do TSE, deputados e senadores, entre outros. Agindo como vem fazendo, não considerando a opinião de exatamente todos os cidadãos, estão cometendo um crime grave contra os direitos humanos, internacionais inclusive, nos obrigando a prostração ao sistema e isto não é aceitável em uma sociedade livre, pois submeter o povo ao sistema é escravismo, e isto é crime internacional.

Leis podem existir, mas elas são perfeitamente passíveis de serem alteradas e adaptadas. Gostaríamos de verificar a atitude dos governantes caso a maioria decidisse por anular alguma eleição. Estes senhores agiriam contrariamente a nossa vontade? Acredito que não, isso geraria revolta e um caos sem precedentes. Verifiquemos a história: a Monarquia foi retirada quando o regime era o imperial. Nos anos 30, as poucas leis trabalhistas existentes, mais escravizavam o trabalhador e a pressão popular obrigou Getúlio Vargas a criar outras que favorecessem ao trabalhador. Mais adiante, a mobilização popular derrubou o Regime Militar e exigiu as Diretas Já. Os governantes também foram obrigados pela população a criar leis que defendessem os jovens, adolescentes e as mulheres (Lei Maria da Penha) e mais recentemente, exigiu a aplicação da Ação Popular do Ficha Limpa. Isto posto, ressalto que é nesta linha que pensamos. Sobre a união da maioria, sua mobilização e pressão, onde ninguém iria contrariamente, nem políticos nem judiciário. Pouco nos importa o que rege o código eleitoral vigente, diante da maioria de votos anulados, terão de acatar a ordem dada, isso é o que dita a Democracia. O serviço público só encontra motivo de existência no cidadão, caso contrário não tem sentido.

Como qualquer outro cidadão brasileiro, só queremos que a nossa opinião livre seja ouvida e considerada, isto é o mínimo que se pode ter em um país onde a Democracia é o Regime. Se eu não concordo, quero o meu direito de opinar, de decidir, de discordar e quero crer que outros pensem da mesma forma. Hoje retiram de nós, militantes do Movimento Voto Nulo, o direito de dizer não e com isso estão retirando dos demais cidadãos também. Talvez você concorde com a situação atual, apesar do caos diário que vivenciamos, apesar de inúmeros casos de corrupção que não cessam de aparecer, apesar de mortes pelo descaso político, apesar dos constantes desvios de verbas que deveriam servir para os serviços básicos e essenciais, apesar dos cidadãos de bem viverem trancados em suas casas, leia-se ?presídios particulares?, mas amanhã podem te dar motivos para discordar, e daí, o que você vai fazer se estas leis te proibirem de reclamar, de dizer não?

Quando votamos nulo, muitos oportunistas e aproveitadores deixam de se eleger, perdendo muito dinheiro e seu prestígio, forçando os partidos políticos a repensarem suas alianças e filiações, e isto nos satisfaz plenamente. Infelizmente, na nossa sociedade existem 29 milhões de pessoas que optam pela abstenção. Este é o pior dos atos para nós, pois significa que não participam da vida do país. Com tal atitude insensata só enriquecem ainda mais os cartorários, pois a multa na justificativa da ausência ao pleito varia de R$ 3,50 a R$ 35,00, conforme o caso, então basta multiplicar a multa mínima pelos 29 milhões, por exemplo, e terá uma vaga idéia de quanto dinheiro está sendo entregue de mão beijada aos que já lucram tanto com o sistema. Realmente, os cartorários têm muitos motivos para festejar por tal alienação política. Mas aconteça o que acontecer futuramente, perceba que sempre estaremos atuando, não paramos nunca, isto está comprovado já.

Como ex-militante do PT até 2004, indignado é claro por me sentir enganado, o que também foi comum a muitos outros petistas, te afirmo, em exatamente todos os partidos políticos estão infiltrados uma enormidade de aproveitadores e oportunistas, estes se corrompem muitas vezes por quase nada, entregando o país aos corruptos. Alguns inocentemente podem até iniciar com boas intenções, mas com o tempo vão comprovando que ou entram no jogo ou não irão se criar no meio. Isto são fatos já comprovados por todos nós, casos de corrupção não cessam de aparecer e estes partidos políticos precisam ser obrigados a mudar de atitude e a estabelecer mudanças que visem tão somente representar o cidadão com honestidade visando o bem-estar de todos, sem quaisquer desvios de conduta. Para finalizar, gostaria de desfazer a comparação que nos é atribuída quando nos consideram como anarquistas. Estes fundamentalmente não votam, não participam dos pleitos e da vida política do país, já nós fazemos questão de ir votar, mesmo que discordando do sistema da forma em que se encontra. Os anarquistas talvez possam ser comparados aos que militam pelo Voto Facultativo, aos que se isentam, mas jamais conosco.