"Caro Antonio Caleari,

Fui seu orientador em trabalho de conclusão de curso que tratava dos limites do direito penal diante do negacionismo e o aprovei porque o objeto de estudo se limitava a discutir aspectos técnicos jurídicos do projeto de lei 987/07 à luz da teoria do bem jurídico penal.

No entanto, fui surpreendido pela publicação de um livro com uma dedicatória que adjetiva de tiranos aqueles que discordam de suas ideias, bem como de mártires os defensores da Revisão Histórica.

Escrevo para deixar clara minha posição a respeito do tema: ainda que entenda legitimo o estudo acadêmico sobre os limites do direito penal em qualquer área, não concordo com teses negacionistas e acredito no Holocausto como uma das maiores tragédias humanas, que merece ser lembrado como uma triste marca e como um símbolo do que há de pior e de mais perverso na humanidade.

Peço, portanto, que não atrele meu nome ? nem o nome da Universidade de São Paulo - a qualquer tese negacionista, revisionista, nem a ideias ou propostas que constem em seu blog".