A "paz" dos cemitérios na Colômbia: mais 20 guerrilheiros mortos pelo exército depois que as FARC anunciaram um "cessar fogo" unilateral

Pelo menos 20 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) foram mortos durante um ataque do Exército colombiano neste final de semana a um dos acampamentos do grupo, na região de Nariño. A ofensiva militar ocorreu no município de Ricaurte, perto da fronteira com o Equador, no Sudoeste da Colômbia. Entre os mortos está um importante dirigente da guerrilha, Guillermo Pequeño. Foi a maior operação militar contra as FARC desde que as chamadas "negociações de paz" começaram em outubro. A Força Aérea bombardeou três acampamentos da guerrilha e atacou sua coluna móvel de combate. O chacal Manoel Santos ordenou o assassinato dos guerrilheiros após a direção das FARC anunciar em meados de novembro um "cessar fogo" unilateral até janeiro como um gesto de "boa vontade" para alcançar a "paz". Tal ato foi apoiado por Fidel, Chávez e a maioria da esquerda mundial. Desde a LBI denunciamos que esta política de concessões vergonhosas está servindo para debilitar a guerrilha política e militarmente. Fica cada vez mais claro que a única "paz" que sairá destas negociações é a dos cemitérios, já que desgraçadamente as vidas dos heroicos combatentes das FARC estão sendo sacrificadas em nome de uma política que em nada serve para a luta revolucionária e, muito menos, para libertar a Colômbia do domínio da burguesia e do imperialismo.

Leia este artigo na íntegra no BLOG político da LBI:
 http://lbi-qi.blogspot.com.br/