Se o Governo Federal pretende marcar uma imagem de intransigência com a corrupção, é melhor se antecipar aos fatos. Agir antes que outros ajam.

Quando o PROCON-RS ou MP-RS arrochou para cima das Teles causou um rebuliço na ANATEL, que só então resolveu tomar medidas, resultando em guerra generalizada contra as empresas. Se a fiscalização fosse constante e efetiva, não haveria necessidade de deixar estourar para tentar consertar de maneira tão traumatica.

Quando o MPF-RS resolve tomar medidas contra a especulação escandalosa que foi o caso "bolha do alicate", a nossa inútil CVM sai como coadjuvante, onde deveria ser principal. E se o MP não levantasse a lebre, haveria impunidade? Enquanto isto a especulação da Bovespa deita e rola de maneira tão flagrante que espantou totalmente os pequenos investidores pessoa física e estrangeiros, assim como novas IPO. Depois a conta de investimentos do Pibinho cai e não sabem o motivo. Os analistas, coniventes, se apressam em culpar o governo e suas "intervenções na economia". Querem enganar a quem?

Desta maneira, na "manutenção por demanda", os escândalos estouram e os danos maiores são para o própio Governo. Por que correr sempre atrás da máquina? Não seria mais produtivo para todos se os órgãos de fiscalização agissem preventivamente?

E ainda querem limitar os poderes do MP.