A Folha tenta passar gato por lebre. Tenta fazer a sociedade acreditar que sua opinião publicada é a opinião pública. No duelo STF X Câmara acerca da perda dos mandatos dos Parlamentares condenados na AP 470, a Folha disparou:

"Atendo-se a tais limites, o STF transferirá a responsabilidade para os parlamentares -como quer a Constituição. Caberá aos deputados o ônus de decidir se manterão na Casa os apenados pela Justiça.

Preservar os colegas seria um escárnio tão impensável que, mesmo em votação secreta -o que deveria ser alterado-, os deputados sentirão o peso da opinião pública.

É inconteste que os condenados pelo mensalão não têm condições -políticas e morais- de permanecer na Câmara dos Deputados. Devem, não há dúvida, ser cassados sem delongas. Mas que se respeitem, como o STF tem feito, os ditames constitucionais."

 http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/86185/

De qual opinião pública(da) a Folha está falando? Ora, porque a Folha não se manifestou acerca do peso da opinião pública quando os parlamentares do Congresso Nacional aplaudiram o assassinato de um casal de Ecologistas na Amazônia?

A própria Folha foi insensível à opinião pública quando afirmou que a Ditadura, que praticou as torturas mais selvagens possíveis, foi uma Ditabranda. Pimenta nos olhos dos outros é refresco nos olhos da Folha.

Aliás, condenar réus sem provas, suprimir o duplo grau de jurisdição, tratar diferentemente casos iguais (mensalão mineiro e mensalão petista) é respeitar os ditames Constitucionais?

A Folha apenas tenta vender a sua opinião publicada como opinião pública. Se realmente o STF tivesse aprovação popular, o PT seria o partido mais votado nas eleições municipais, apesar do STF, do PIG e da PGR se manifestar tácita e manifestamente contra o partido?