Visto como um potencial homem-bomba pelo PT por saber como foi montado passo a passo o mensalão, Marcos Valério Fernandes de Souza disse ter sido ameaçado de morte por Paulo Okamotto, atual diretor do Instituto Lula e amigo do ex-presidente. Se abrisse a boca, morreria, disse o empresário no depoimento à Procuradoria-Geral da República.

"Tem muita gente no PT que quer sua morte", teria dito Okamotto. Não custaria ao PT implementar a mesma técnica utilizada no caso Celso Daniel, onde o petista e mais 10 testemunhas foram assassinadas a mando do partido.

Alguém ainda tem dúvidas de que este partido é uma organização criminosa?