MINISTRO JOAQUIM BARBOSA CEGO SURDO E MUDO DIANTE DA GUERRA DO INDIGENATO

Kalixto Guimarães/Correspondente do Araguaia



Enquanto o conflito se recrudesce na Suiá-Missu, na luta pelo direito legal da propriedade, o presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, se cala diante da truculência da FUNAI e do MPF, em promover a guerra do indígenato no país.

Consagrado como guardião e esperança viva da moralidade nacional, conquistando a confiança do povo brasileiro em julgar com severidade e de forma implacável os membros da quadrilha petista que assolou e ainda assola o país, o ministro Joaquim Barbosa, parece ter sucumbido aos ditames do complô internacional que pretende parar o Brasil rural em nome dos direitos indígenas. Naturalmente, o caso suiá-missu, não é o único que mostra o caráter arbitrário da FUNAI e de seus aliados, especialmente, do MPF, órgão criado para defender os interesses da nação e que de repente, se torna em uma das mais perigosas trincheiras contra a cidadania e os direitos do povo brasileiro. Existem vários outros casos mal resolvidos como foi o de Raposa Serra do Sol, dos Ianomâmis, da reserva Roosevelt, onde, comprovadamente, índios e brancos se deram mal e os gringos bem, levando vantagens com a biopirataria e o intenso trafico de minérios.

Com a portaria 303, editada pela Advocacia Geral da União, sendo suspensa pela tropa de choque do indígenato, mais o trancamento da pauta do decreto 215, no Congresso Nacional, que pretende retirar o poderio da FUNAI, nos procedimentos de criação e demarcação de reservas indígenas, as previsões é de que o governo brasileiro, esta de ?bunda baixa? para atender os acordos espúrios feitos com os países ricos. Tais acordos, como o que foi assinado em 2007, na Organização das Nações Unidas, ONU, pelo ex-presidente Lula, aceitando os termos da Declaração Universal do Direitos do Povos Indígenas, onde, reconhece a autonomia territorial dos índios bem como, a independência administrativa e política das etnias brasileiras como autenticas ?Nações Indígenas?

A insensatez da presidenta Dilma Rousseff, em não receber o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, para tratar do caso suiá-missu, mais o jogo de empurra de seus ministros, que nada fizeram para rever o processo falacioso montado pela FUNAI e MPF, compromete a soberania do país .Mais grave ainda, é o silencio do super-ministro Joaquim Barbosa, que ate agora, se faz de cego e surdo, não vendo e nem ouvindo o grito de socorro do Araguaia ecoando por todo o Brasil, clamando por Justiça! Enquanto isso, as Forças Armadas cochilam sob as botas das tropas de elite da Força Nacional, criada por Lula e sua turma, para governar a terra do Nunca, o país do ?faz de conta.?