Joaquim Barbosa jogou o requerimento de prisão imediata dos mensaleiros petistas no lixo, acabando de vez com o Natal do PSDB e criando a possibilidade de prisão de tucanos e petistas na mesma oportunidade  http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2012/12/514963.shtml .

A reação do PGR foi imediata. Ao ver frustradas suas esperanças de promoção dentro da quadrilha tucana, Gurgel disse publicamente que está muito preocupado com a efetividade das decisões judiciais.

Muito estranha esta nova disposição do PGR. Nunca o vi tão preocupado com a efetividade de decisões judiciais em São Paulo.

Alckimin, governador tucanalha, não paga Precatórios estaduais. Milhares de decisões judiciais que criaram créditos contra o Estado de São Paulo não tem qualquer efetividade, mesmo assim o Roberto Gurgel nunca pediu ao Judiciário que afaste Alckimin do cargo para que os credores do Estado possam receber o que lhes é devido por força de decisões judiciais.

Alckimin, aliás, não cumpre nem mesmo decisões do TJSP determinando que ele nomeie interventores nos municípios paulistas que não pagaram precatórios municipais. Há no TJSP centenas de Acórdãos determinando intervenção em municípios paulistas sem qualquer efetividade, pois o governador se recusa a cumprir as decisões. Nunca vi o PGR fazer Alckimin responder processo por crime de desobediência de ordem judicial ou dizer publicamente que está preocupado com a efetividade das decisões judiciais no Estado de São Paulo.

Roberto Gurgel persegue petistas e pega leve com tucanos. Este canalha, que nunca faz nada em favor da efetividade dos precatórios no Estado de São Paulo e exigiu indevidamente a prisão imediata dos petistas, está deixando prescrever os crimes do mensalão tucano. O PGR precisa ser responsabilizado pelo seu partidarismo.