Milhares de bases de apoio do Exército Zapatista de Liberação Nacional (EZLN) se concentraram em filas e em silêncio na praça de Ocosingo, em Chiapas, no México, na manhã desta sexta-feira (21).

Cerca de 12 mil mulheres, homens, jovens, idosos e crianças do EZLN seguiram até San Cristóbal de las Casas, Las Margaritas, Comitán e Altamirano, principais cidades que foram tomadas pelos zapatistas, em 1994, para, à época, declarar guerra ao governo do então presidente Carlos Salinas de Gortari.

Sem a presença do subcomandante Marcos, perto do meio dia, os indígenas zapatistas leram uma mensagem dirigida ao povo do México.

Desde 7 de maio de 2011, quando a organização indígena apoiou a marcha do poeta Javier Sicilia com uma concentração massiva em San Cristobál de las Casas, os zapatistas não haviam ido às ruas das cidades de Chiapas.