A bancada do prefeito na Câmara Municipal usa todos os artifícios, para, além do museu do Índio, também derrubar uma escola cujo desempenho é referencia no país. Alias, já começaram a derrubar o entorno do museu, mesmo sem o aval da vereança.

Cabral, usando como mote a construção de moradias, está fechando a refinaria de Manguinhos. A não ser que Cabral queira ser autor de um novo campo de concentração nazista, e construa residências onde, por mais de 50 anos, funcionou uma refinaria, com alto índice de contaminação, principalmente por benzeno. Aliás, Hitler também enganava os prisioneiros nos corredores da morte dos campos de concentração.

Num acordo para lá de suspeito com o dono da refinaria, que, segundo decreto do próprio governador, embolsaria 170 milhões de reais. Estranho que Cabral denominou a refinaria de ?Lata Velha? e propõe essa bolada como indenização. Ao que parece, só os trabalhadores estão perdendo seu emprego em pleno natal e ano novo. Estão demitindo sindicalistas, cipistas e licenciados para tratamento de saúde.

O prefeito Eduardo Paes quer ainda construir um campo de golfe numa área de reserva ambiental na barra da Tijuca. O bairro de Santa Thereza está aguardando a volta do tradicional bonde prometido por Cabral há mais de um ano. O Bonde, além de principal via de transporte dos moradores, fazia a alegria dos turistas!

Agora assistimos à vitrine dos ?cracudos?, em plena Avenida Brasil . Centenas de jovens na margem de uma das principais avenidas do país esperando a morte chegar. Além da autodestruição, esses jovens representam uma ameaça a toda sociedade. E os nossos governantes usam a desculpa esfarrapada dos juristas, de proibição da internação unilateral para tratamento. E não fazem nada!

Será que o Rio de Janeiro continua lindo?

RIO DE JANEIRO, 24 de dezembro de 2012