Agora a presidenta Dilma enfrenta uma oposição ferrenha, haja vista o orçamento da União que, se não fosse usada uma medida provisória, o Brasil ficaria sem dinheiro para honrar seus compromissos. A oposição, não satisfeita em impedir seção do Congresso Nacional no final de 2012 para votar o orçamento de 2013, ameaça entrar na justiça contra a medida provisória. Na verdade, sem o orçamento da União eles estão prejudicando o Brasil e os brasileiros. E como se o pai ou a mãe de família não tivesse como honrar os compromissos financeiros no inÍcio do ano: IPTU, matrícula na escola das crianças, IPVA etc, seria o caos.
O desempenho pífio da oposição nas eleições municipais e nas prévias para eleição à presidência em 2014, isso depois de todos os escândalos mentirosos, requentados e implantados contra o governo, principalmente com o julgamento do mensalão, mostrou que o povo está apoiando o Lula, o PT e a Dilma. Mas a direita brasileira, aliada à mídia, não desistiu e não dá trégua, funciona como uma quadrilha se revezando, mentindo, requentando e fabricando notícias negativas contra o governo e o Brasil.
Hoje, 3/11, a manchete da Folha tirou a máscara e se apresentou como um panfleto partidário, mentiroso e ridículo contra o governo: ?Triênio de Dilma poderá ser o primeiro desde Collor em que o país crescerá menos que todos os vizinhos?. A má fé da Folha é tão grande que já fez projeção catastrófica para os três anos de Dilma. Poderia dizer, por exemplo, que o PIB brasileiro é maior que todos os países vizinhos juntos, assim quantitativamente o Brasil crescerá muito mais.
E usou para subestimar o desempenho econômico do Brasil, dirigentes do Cytibank, e dos bancos privados brasileiros (Itaú, HSBC), todos esses bancos particulares estão morrendo de ódio do governo Dilma que, em beneficio da sociedade, usaram o banco do Brasil e a Caixa Econômica para diminuir os juros bancários e conseqüentemente seus lucros. E o mais ridículo, a consultaria usada pela Folha é Britânica, EIU (Economist Intelligence Unit) da qual faz parte a Inglaterra país da mesma revista, The Economist, que, de forma estapafúrdia, sugeriu a saída do ministro da Fazenda, Guido Mantega.
A Folha esqueceu-se da crise financeira internacional que jogou os Estados Unidos e a Europa no caos econômicos, onde o EUA teve que usar dinheiro público para salvar o Cytibank e a General Motors ? GM, símbolos da iniciativa privada. Tanto os EUA como a Europa enfrentam além do PIB baixo, uma onde de desemprego em massa, na Grécia e na Espanha e em Portugal acima dos 20%. E o que essa imprensa não diz é que o Brasil se aproxima do pleno emprego e que agora já somos a sexta economia no mundo!
A despeito dessa má vontade da Folha com o Brasil, os turistas invadiram nosso país na passagem de ano, gerando emprego e renda. O Congresso está discutindo a distribuição dos royalties à União, estados e municípios. E vamos começar a produzir petróleo em grande escala com o pré-sal. Será que a Folha não teria outra noticia econômica sobre o governo Dilma e o Brasil?

Alerta geral: Matéria enviada à Folha, O Globo, Estadão, JB, Veja, e Época, entre outros jornais e revistas para publicação. Enquanto a ?lei dos meios? não chega em nosso país, vamos usar as redes sociais para divulgar noticiais verdadeiras sobre nosso país. A orientação da direita e da mídia brasileira a exemplo dessa matéria da Folha é pautar noticias negativas contra o governo e o Brasil, para conter nosso ciclo virtuoso, não importa que sejam fabricadas, requentadas, mentirosas tem que falar mal.

RIO DE JANEIRO, 03 de janeiro de 2013