No município de Jeremoabo, onde a seca castiga os humildes, a prefeitura não pagou o salário de dezembro nem o décimo terceiro do funcionalismo, porém, se deu ao luxo de gastar com diárias mais de R$ 60 mil reais. Isso, em tese, significa que cada jeremoabense pagou, para custeio das viagens oficiais de sua excelência. O Poder Público local sobrevive praticamente do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Quando assumiu a prefeitura de Jeremoabo após a renuncia de Tista de Déda, imaginou-se que Pedrinho de João Ferreira fosse moralizar o mau uso do dinheiro público com gastos exorbitantes nas viagens de secretários e dele próprio. Se alguém pensa que o prefeito reduziu pelo menos seus gastos com diárias na Prefeitura está redondamente enganado. De abril a dezembro período em que des-governou o município, a gastança com diárias e transporte ultrapassou R$ 66 mil. Para ser mais exato, segundo o Portal da Transparência, foram gastos exatos: R$ 66.815,00.

Depois dos rumores sobre a suposta compra de duas mil carteiras e mil birôs, levantada pela imprensa local, e agora, a "gastança" com diárias é de se esperar que o Tribunal de Contas do Estado pressione os maus prefeitos a devolver o dinheiro gasto desnecessariamente aos cofres dos seus respectivos municípios.