A discussão começou, conta Nutti, quando ele reclamou a um barman que a dose da bebida que havia comprado estava menor do que o normal. O funcionário, então, bateu com um copo no balcão e o líquido acabou molhando o maquiador. "Eu falei que ele era grosso", conta Nutti.

De acordo com ele, o funcionário reagiu, xingando-o: "Não tenho paciência com veado bêbado". Nutti resolveu sair do local, mas foi seguido pelo barman, que o segurou pelo pescoço "Pedi para ele me soltar, mas ele disse: 'não vou te soltar, sua bichinha escrota'".

O funcionário, diz Nutti, o agrediu com socos no rosto. Caído, o maquiador ainda levou chutes de outro barman da casa, o Lab Club.

Os óculos de Nutti se quebraram e a lente feriu seu rosto. Ele ainda teve um luxação no nariz e um deslocamento no ombro direito. O maquiador, que é destro, diz que não consegue levantar o braço para trabalhar.

"O discurso dele foi homofóbico. Ele aceitou trabalhar num ambiente que recebe gays [o Lab Club] e mesmo assim não tolera [homossexuais]", diz Nutti.

Após a confusão, o dono do estabelecimento, Denis Hadler, levou o maquiador ao hospital Beneficência Portuguesa. Os funcionários da casa noturna, que trabalhavam no local há três meses, foram demitidos no mesmo dia, segundo o empresário.

"Esse episódio vai contra o nosso princípio de dar diversão às pessoas sem nos importarmos com a orientação sexual delas", diz Hadler. Ele afirma que os funcionários da balada recebem treinamento para atender ao público de forma "respeitosa e paciente".

O Lab Club não informou o nome dos funcionários. O caso foi registrado no 4º DP da Consolação, também no centro de São Paulo.