O empreendimento traz a marca de uma das maiores organizações de exploração imobiliária do mundo, as Organizações Trump, associada às empresas MRP Internacional (Bulgária) e Even Construtora e Incorporadora (Brasil). Formada por 5 torres que podem atingir até 50 andares cada, a construção tem uma expectativa de valor de mercado de até 6 bilhões de reais. O terreno está em negociação para compra pela Prefeitura do Rio, enquanto boa parte do financiamento será realizado através da Caixa Econômica Federal. O início das obras está prometido para o segundo semestre deste ano. E seu endereço é exatamente o da Ocupação Quilombo das Guerreiras (Av. Francisco Bicalho, 49).

A situação se torna ainda mais complicada pela falta de alternativas existentes às famílias. Parte de suas esperanças está voltada ao Projeto Quilombo da Gamboa, projeto de reassentamento a ser construído para mais de 140 famílias na própria região portuária. Este projeto, porém, luta há mais de 2 anos contra a burocracia estatal para começar a sair do papel. Sem nenhum tijolo no lugar destinado às novas unidades, as incertezas rondam e apavoram cada morador/a.

Por isso é fundamental agora estreitar os laços e aumentar as manifestações de solidariedade à Ocupação Quilombo das Guerreiras. Todo apoio é muito importante!

Quilombo é ocupação! Quilombo é o caldeirão!

Se morar é um direito, ocupar é um dever!