Tudo é passivo de crítica. Ando meio irritado com esse chauvinismo sexual da classe média. Não passa de narcisismo e mitomania.
Grande merda poder prolongar a merda da adolescência e perder o que ela têm de mais preciosa, isto é, a inocência e a credulidade, mas não é piada, o pessoal perde o rumo das coisas para curtir mais.
Ok,ok, cada um faz o melhor que pode e o que quer, mas creio eu que o declínio do ethos guerreiro, patriarcal não está salvando a bendita História, afinal por maiores descaminhos que os revolucionários do passado tinham, e me refiro tanto a Lenin como a Ghandi, creio, depois de ler suas biografias, que perdemos o sentimento de sacrificio, da autonegação como força motora, e não concebemos mais a destruição como prática criativa!
Como diz o ditado: "O guerreiro que vai para guerra querendo viver morrerá. O que quer morrer se salvará," sabe porque? Porque geralmente os bons generais sacam de corajem e geralmente quem ama a vida vai para linha de fente pois está mais apto para fugir quem ama a morte empurra a invantaria ameçando os fracos e covardes com a "terrivel morte", leia-se execução por alta traição, afinal como não tinham nada aperder... esse foi o cimento da vitoria em diversas batalhas, vejam "A República da noite de Sartre". Não não riam, gosto mais de Bakunin, Lamarca, Marighela, Frei Beto do que esse modelo de homem posto ai sem força sem virilidade escravo da imagem e do prazer. Como odeio o termo "metrosexual". Entretanto há o prazer...Ghandi gozou a vida ao ver seu povo livre, Lenin por mais maldoso que tenha sido sentiu o gostinho da vingança, pagando o mal com o mal, embora não recomende isso... mas o medo do risco e do sacrificio nos transforma em punheteiros existenciais, a vá..!