O Brasil cresce de forma moderada, as contas públicas estão em dia, o nível de desemprego é o menor em décadas e o governo goza de uma imensa popularidade apesar (ou por causa) da raiva da mídia. Ao antecipar o aumento do Salário Mínimo, Dilma Rousseff retirou da oposição os tradicionais dois meses de palanque contra o aumento do mesmo. Sem pauta e precisando desesperadamente aparecer, os líderes tucanos/demonícos começaram a apelar. Criticam duramente a presidenta porque ela se veste de vermelho. Ela estaria fazendo propaganda indevida do PT.


No Facebook esta acusação virou motivo de piada. Fotos de Michelle Obama e de Angela Merkel vestidas de vermelho são associadas a matérias jornalísticas (fakes) com os seguintes dizeres: PSDB PRETENDE REPRESENTAR MERKEL E MICHELLE OBAMA POR FAZEREM PROPAGANDA DO PT. As piadas são toscas e singelas, mas bastante apropriadas ao nível do debate político proposto por tucanos/demonícos.


O nível rasteiro da oposição é evidente e risível. E já que estamos a falar das cores, ocorre-me aqui tentar esboçar uma Doutrina das Cores, em nada parecida àquela que foi produzida por Johann Wolfgang von Goethe, para tentar inferir as novas investidas dos fashionistas tucano/demonícos.


Se Dilma usar verde, vão acusar ela de favorecer o Exército contra a Aeronáutica e a Marinha. Se ela usar branco, apenas a Marinha vai ficar contente e os tucanos explorarão os rancores do Exército e da Aeronáutica. Caso a presidenta use rosa choque ou as cores do arco-iris os fashionistas da bancada tucana da TFP dirá que Dilma é uma militante do Movimento Gay infiltrada no Palácio do Planalto. De preto Dilma estaria anunciando o enterro de seu programa econômico e governo. Se Dilma preferir usar verde e amarelo, do alto de sua sapiência o arauto mor aposentado do tucanato paulista dirá que a petista apela para o populismo futebolístico para garantir sua eleição no ano da Copa do Mundo. Púrpura era a cor de César! dirão os sicários do parlamento escondendo punhais sob seus paletós para matar a tirana Dilma na rampa do Palácio do Planalto gritando " Liberdade, liberdade! / Abra as asas sobre nós..." Metida num Taier azul, Dilma certamente teria traído seus ideais petistas para dormir no colo da oposição senatorial botoxcuda.

Desisto. Não há uma única cor de tecido que agrade os fashionistas da oposição. Portanto, tudo bem pesado, medido, alinhavado e costurado, me parece que os varões da oposição/demoníca querem mesmo é ver Dilma nua. Aquilo que deveria ser um privilégio apenas dela mesma e de seus amantes passados, presentes ou futuros, se tornaria um "programa fashionisticamente correto" para o PSDB/DEM?

Mas se Dilma sair vestida de nudez como querem seus desafetos e invejosos inimigos políticos, tenho certeza de que José Serra se vestirá de pirralho para poder apontar para ela e dizer com duplo sentido malevolente:

"O rei está nua!"