NA ESTEIRA REACIONÁRIA DO JULGAMENTO DO "MENSALÃO", MINISTÉRIO PÚBLICO (TUCANO) ENCAMINHA PRISÃO DE ESTUDANTES QUE OCUPARAM A REITORIA DA USP!

O Ministério Público de São Paulo, controlado pelo PSDB, acaba de denunciar os 72 estudantes que ocuparam a reitoria da USP, acusando-os de "formação de quadrilha, danos ao patrimônio, pichação e descumprimento da ordem judicial". Agora, a denúncia tucana será analisada por um dos juízes do Fórum Criminal de São Paulo que pode sentenciar os alunos em, no mínimo, oito anos de prisão. A decisão está inspirada claramente na ofensiva reacionária que o STF promoveu contra lideranças históricas do PT (Dirceu e Cia) via "denúncia" do Procurador-Geral da República e chefe do Ministério Público Federal, Roberto Gurgel. Como advertimos, o julgamento do "mensalão" abriu caminho para o ataque ao conjunto do movimento operário e popular. Pateticamente as correntes revisionistas que aplaudiram a ação do STF, como o PSTU, CST e LER-QI, agora denunciam a ação do Ministério Público paulista, sem fazer qualquer ligação entre estes dois fatos emblemáticos e o recrudescimento do regime político burguês! Na época de desocupação da reitoria, uma verdadeira operação de guerra foi montada pela Polícia Militar a mando do governo Alckmin (PSDB) e do facínora reitor Rodas para desocupar o prédio da USP, ocupada por estudantes justamente para protestar contra a presença da PM no campus. Efetivos das forças especiais da polícia, como o GATE, Batalhão de Choque e GOE, apoiados pela cavalaria e helicópteros, invadiram não só a Reitoria como cercaram diversas unidades da universidade impedindo a circulação de estudantes, professores e funcionários. Depois de retirados à força pela PM, ônibus da tropa de choque levaram os 72 alunos presos. A ofensiva reacionária contra os métodos de luta direta a privatização da universidade e o regime repressivo imposto em seu interior, expressa claramente a etapa mundial de profunda reação ideológica e ofensiva em toda a linha do imperialismo. Quando a farsa democrática do "diálogo" não é capaz de manter a juventude e os trabalhadores dominados, a burguesia recorre a métodos de guerra civil para impor seus objetivos, usando também suas "instituições republicanas" para desferir ataques ao movimento de massas.

Leia este artigo na íntegra no BLOG político da LBI:
 http://lbi-qi.blogspot.com.br/

Siga-nos no TWITTER:
 http://twitter.com/LBIQI