A queda de Bento XVI na Itália durante o reinado de Momo no Brasil pode ter sido coincidência. A imprensa noticiou o fato, mas omitiu os detalhes do contexto, mas isto não é coincidência. É incompetência mesmo.

Nos últimos dias falou-se muito nos escândalos que marcaram o papado de Bento XVI, especialmente dos casos de pedofilia envolvendo padres e bispos. Mas este não foi o maior problema enfrentado pelo papa alemão. Os conflitos políticos dentro do Vaticano e entre a Igreja e o governo italiano são bem mais importantes e podem ter selado o destino de Bento XVI. Sobre um destes casos diz Massimo Franco:

"O jornal do irmão do primeiro-ministro foi apenas o instrumento de um jogo que começou nos edificios sagrados; desempenhando durante meses sem deixar rastro, e não só ligado a uma espécie de santa aliança entre Berlusconi e setores da hierarquia católica, mas em um desafio sutil para o primado da Igreja de hoje, e talvez no equilibrio de próximo conclave. Em suma, no final não fica claro quem tenha saído favorecido, tanto no poder politico quanto no eclesiástico."

Estas são as observações de Massimo Franco, do jornal Corriere della Sera, transcritas no livro "SUA SANTIDADE, As cartas secretas de Bento XVI", de Gianluigi Nuzzi, a propósito do escândalo envolvendo o jornalista Dino Boffo.

Boffo foi acusado de homossexualismo com provas forjadas e perdeu seu cargo de diretor no jornal católico Avvenire. Isto ocorreu após o Avvenire denunciar as festas "bunga-bunga" regadas a vinho e putas na casa de campo de Berlusconi. O escândalo das festas "bunga-bunga" ajudou a provocar a queda do primeiro ministro italiano.

Berlusconi, ao que tudo indica, voltará ao poder na Italia. Bento XVI renunciou pouco antes disto ou em consequência disto? Qualquer relação entre estes dois fatos (volta de Berlusconi e queda de Bento XVI) não pode ser mera coincidência.

O resultado do conclave, como disse Massimo Franco, já pode ter sido decidido. Não necessariamente pelo grupo de Bento XVI. A longa mão da máfia e de Berlusconi dentro do Vaticano operou um milagre?