ATO QUE CELEBROU DEZ ANOS DO GOVERNO DE FRENTE POPULAR É MARCADO PELA "RENÚNCIA" DE LULA E HEGEMONIA DE DILMA SOBRE O PT

O ato comemorativo dos dez anos de gerências petistas à frente do Estado capitalista, ocorrido no último dia 20/02 em um hotel de São Paulo, tinha tudo para ser mais um evento rotineiro "chapa branca" onde o atual governo costuma revelar estatísticas oficiais acerca dos "avanços sociais" obtidos através de seus programas assistenciais de transferência de renda. Não por coincidência, há poucos dias Dilma anunciou sua intenção de erradicar a "pobreza absoluta" no país pela via da distribuição de uma bolsa de 70 Reais para "cidadãos" que tem uma renda mensal inferior a este valor. Também não se cansam de repetir em atos políticos desta natureza a "grande realização petista" de incluir 40 milhões de brasileiros no mercado de consumo ou da ampliação do cadastro de pessoas no "bolsa família", uma espécie de "top trend" do governo da frente popular. Mas, o que seria mais um enfadonho exercício oficialista de tentar camuflar a dramática realidade do povo brasileiro, tornou-se uma peça política de lançamento do candidato do PT que disputará as eleições presidenciais de 2014, pondo um fim às especulações do retorno de Lula ao palácio do Planalto. E foi o próprio Lula quem anunciou que o candidato do partido já está definido, trata-se da ex-poste, a mesma que tinha se comprometido em 2010 a deixar o governo livre para o retorno da liderança maior do PT. Mas, parece que o "poder" estatal arraigou-se nas entranhas Dilmistas e apesar de não possuir nenhum carisma de massas a presidenta agora impôs ela mesma (com a ajuda de uma nova anturragem) a sua própria reeleição, independente da vontade política de Lula e da histórica direção do PT.

Leia este artigo na íntegra no BLOG político da LBI:
 http://lbi-qi.blogspot.com.br/