MANIFESTAÇÃO CONVOCADA PELA LBI CONTRA A BLOGUEIRA DA CIA INVIABILIZA EVENTO CONTRARREVOLUCIONÁRIO EM SÃO PAULO

Mais de 100 ativistas participaram da manifestação contra a blogueira mercenária Yoani Sachez ocorrida no final da tarde desta quinta-feira, 21 de fevereiro, em São Paulo, durante um "debate" a portas fechadas que seria realizado na Livraria Cultura, localizada na Avenida Paulista. A realização da manifestação nacional de repúdio a presença desta contrarrevolucionária foi uma iniciativa política da LBI, a qual se somaram outras correntes políticas como o PCR, PCdoB, PCB, Jornal Inverta (PCML) e Comitê de Solidariedade a Cuba, além de outras entidades e ativistas independentes. No Hall de entrada do evento, o conjunto dos manifestantes responderam às provocações de um pequeno grupo de fascistizantes pró-Yoani, entoando palavras de ordens em defesa da liberdade dos cinco presos políticos cubanos. Durante o encontro fechado de Yoani com membros da mídia murdochiana especializada em atacar Cuba e suas conquistas, os manifestantes ocuparam o auditório da livraria e, através de várias palavras de ordens, faixas e cartazes, expressaram sua defesa da revolução cubana e o rechaço a esta agente do imperialismo ianque, inviabilizando o encontro organizado para atacar a Ilha operária. Diante do combativo protesto, a blogueira mercenária que até então palestrava foi obrigada a se retirar do palco e ficou sem terminar os outros compromissos de sua agenda reacionária. A noite de "autógrafos" do seu lixo em forma de livro, montada pela mídia venal para marcar pomposamente a "turnê" desta figura abjeta no Brasil, também teve que ser cancelada por conta da manifestação. Desde a LBI, apesar de nossas pequenas forças, nos orgulhamos de ter tomado a iniciativa política de convocar esta manifestação internacionalista proletária que demonstrou concretamente a solidariedade militante com a revolução cubana e suas conquistas.

Leia este artigo na íntegra no BLOG político da LBI:
 http://lbi-qi.blogspot.com.br/