Hoje de manhã vi o Sardenberger comentando na CBN o título de campeã do Carnaval da Vila Isabel. No comentário ele exaltava o agronegócio.

Quem patrocinou a escola de Samba foi a multinacional BASF, empresa química líder mundial. É a fabricação do consenso.

Vale lembrar que o Brasil é o maior consumidor de venenos agrícolas, consumindo cerca de 750 milhões de toneladas por ano.

(detalhe, as informações abaixo foram coletadas de um site de suinocultores, ou seja, são pró BASF)

--

Com o samba-enredo ?A Vila canta o Brasil celeiro do mundo ? água no feijão que chegou mais um?, o Grêmio Recreativo de Escola de Samba Unidos de Vila Isabel conquistou o 1º lugar do desfile do grupo especial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro. Com patrocínio da BASF, a Escola levou ao Sambódromo carioca na madrugada do última terça (12/02), aproxidamente quatro mil integrantes que desfilaram na pista da Marquês de Sapucaí cantando o samba-enredo sobre a vida dos agricultores brasileiros, com letra e melodia de Martinho da Vila, Arlindo Cruz e outros nomes do samba brasileiro.

O patrocínio da BASF faz parte de uma estratégia maior da companhia em ações de valorização do produtor rural nacional. Desde o anúncio da parceria com a Escola de Samba a empresa tem recebido apoio de diversos setores e, assim, tem cumprido o objetivo de levar a mensagem da importância da agricultura a toda a sociedade civil, especialmente aos centros urbanos. ?Parabéns à Escola e a toda a comunidade da Vila Isabel pela conquista! Mesmo se não tivéssemos ganhado a ação já teria sido muito válida. Isso porque conseguimos levar nossa mensagem à uma audiência enorme, já que todo o País volta seus olhos ao desfile carioca?, afirmou Maurício Russomanno, vice-presidente da Unidade de Proteção de Cultivos da BASF logo após a apuração realizada hoje na capital fluminense.

A escolha da BASF pela Vila não se deu à toa: a Escola figura entre as mais tradicionais, representativas e criativas do grupo especial. ?Vale lembrar que nos últimos 10 anos a Vila esteve no desfile das campeãs em nove oportunidades. O resultado reforça a posição de destaque da Escola no carnaval carioca?, reforçou Russomanno.

Já a Escola viu na temática uma oportunidade de abordar uma mensagem relevante para a sociedade, que tratou na Avenida de uma forma lúdica e acessível a todos os públicos. ?Estamos muito emocionados com a conquista, que resulta de um esforço enorme de toda uma comunidade apaixonada pelo carnaval como acontece com a Vila Isabel. Nada disso seria possível sem a parceria com a BASF que, assim como nós, acreditou na ideia desde o princípio e não mediu esforços para contribuir com a construção de um carnaval vitorioso como o que fizemos?, afirma Wilson da Silva Alves, presidente da Unidos de Vila Isabel.

Carnaval e planejamento ? A indústria do samba

Para que se tenha uma ideia da dimensão e todo esforço aplicado para a realização deste desfile é importante ressaltar alguns números. De abril a julho de 2012, por exemplo, foi feita a pesquisa para o enredo, anunciado em julho daquele ano. Em setembro teve início a produção dos figurinos, carros alegóricos e os ensaios na quadra da Escola, localizada no bairro homônimo de Vila Isabel. ?Acompanhei, muitas vezes pessoalmente, cada fase do projeto. Tivemos todo cuidado em auxiliar a Escola na busca por informações sobre a realidade do agricultor e também por facilitar o contato entre eles e os pesquisadores da Vila, numa espécie de laboratório - uma forma de que pudessem compreender de maneira realista a rotina, anseios e diculdades enfrentadas pelos agricultores?, afirmou Russomanno.

Para que tudo isso tenha entrado em perfeita harmonia na avenida como se viu, houve o envolvimento de historiadores, gestores de arte, engenheiros e outros profissionais que somam mais de 130 funcionários fixos da Vila e outros 250 contratados de forma temporária para a reta final dos trabalhos, distribuídos nos sete mil metros quadrados do barracão da Vila Isabel na Cidade do Samba, onde também são construídos os carros alegóricos.

?Eu nunca tinha participado de nada relativo a carnaval. A festa é muito maior e mais vibrante do eu imaginava, foi muito gratificante! Hoje, diferente do que se pensava tempos atrás, é mais evidente a nossa contribuição para a sociedade. O carnaval reforçou a relevância do nosso setor para a vida das pessoas?, afirmou emocionado Franke Djikstra, produtor de soja, trigo, milho e feijão da região de Ponta Grossa, no Paraná (PR) logo após o desfile, que fez parte de um grupo de mil convidados da BASF para acompanharem o desfile. ?Sabemos que as ações de valorização do agricultor não podem e não vão parar por aqui. Porém, estamos extremamente satisfeitos com esse resultado. Os produtores rurais sentiram-se reconhecidos com esta homenagem, o que era umas de nossas principais preocupações. Outros setores da sociedade também avaliaram positivamente a ideia, traduzida com grande habilidade pela Vila Isabel. Creio que o grande público também tenha aprovado nossa ideia. Pelo menos o público na Marquês de Sapucaí e as pessoas que acompanharam o desfile pela TV puderam comprovar a importância do setor agrícola e dos próprios agricultores. E isso já valeu todo o nosso esforço?, finalizou o vice-presidente da BASF.


Cadê os retardados mentais da imprensa burguesa "democratas" de araque que defenderam histericamente aquela vagabunda "cubana" paga pela CIA
e os militares "patriotas" que não dizem nada contra isso?Cada vez mais os lixos que eu citei perdem a credibilidade e se tornam inquisidores religiosos.