Ser ou não ser ético eis a questão. Jooaquim votou para que o setor privado financie apenas 30% do valor total das farras magistrais.

É muita pilantragem. O país da caxorrada legal.