O coletivo do CMI São Paulo foi formado em meados de 2000 com o objetivo trazer o projeto Indymedia para o Brasil. Foi um longo trabalho até que o site entrasse no ar, no final daquele ano.

No início, o pequeno grupo, formado por apenas três pessoas, se esforçava para alimentar e fazer a manutenção do site, além de divulgar o projeto entre a comunidade. O envolvimento do CMI São Paulo em outras iniciativas de democratização da informação aconteceu depois de algum tempo, com a publicação do primeiro número do jornal Ação Direta, o contato com as rádios livres. A vontade de continuar com o esse trabalho era muito grande. Mais pessoas foram se agregando ao coletivo, outros coletivos foram surgindo no país e hoje, o coletivo São Paulo é apenas um dentre os sete coletivos que compõem a rede Brasil do CMI.

Nessa página, você poderá conhecer um pouco melhor as atividades do coletivo de São Paulo. Os voluntários desse coletivo vivem na própria cidade ou nas imediações. As pessoas do ABC têm um grupo de trabalho dentro do CMI São Paulo e juntos com alguns outros voluntários que moram em cidades onde não existem coletivos do CMI, acabam participando das atividades através do coletivo de São Paulo.

Como você pode ajudar?

Primeiramente, integrando-se no coletivo ou em um dos projetos que ele desenvolve. Caso você queira propor o seu próprio projeto, isso também é possível. Você pode contatar o coletivo de São Paulo diretamente um dos grupos de trabalho, cujos e-mails estão colocados abaixo, na própria descrição dos projetos.

Os projetos que são desenvolvidos pelo coletivo de São Paulo são os seguintes:

Jornal Impresso:

O jornal Ação Direta é uma publicação aperiódica que sai quando temos dinheiro. Se você gosta de trabalhar com impressos, pode ajudar escrever matérias, trabalhar com edição e diagramação. Os voluntários que trabalham com impressos no coletivo têm também um projeto para captação de recursos, que caso forem obtidos, possibilitarão editar o jornal com uma periodicidade definida. É intenção do coletivo que esse jornal seja quinzenal futuramente. O jornal está na sua quarta edição, mas apenas a edição 1 (tiragem de 10.000) e a edição 4 (tiragem de 50.000) foram impressas.

1 - ALCA
2 - A20 em 2001
3 - Fórum Social Mundial 2002
4 - Campanha contra a ALCA

Para maiores informações sobre o Ação Direta, escreva para cmi-sp-impressos@lists.indymedia.org.


voltar ao topo


Jornal de Poste:

O CMI na Rua é um jornal de poste que é produzido pelo CMI e colado pelas cidades. O intuito desse jornal é fazer com que as notícias publicadas no site não fiquem restritas aos usuários de internet. Dessa forma, as notícias são colocadas nesse jornal (feito geralmente em formato A3) e depois de tudo pronto os voluntários marcam alguns dias para as colagens. Você pode ajudar a selecionar material para colocar no CMI na Rua, ajudar na parte de diagramação e impressão, com as cópias ou ainda, pode ajudar a colar os jornais pela cidade!

Esse jornal também é desenvolvido por outros coletivos do país. Abaixo, as edições feitas pelo coletivo de São Paulo:

0 - Repressão Policial na Argentina
1 - GRADI e Ocupação em Osasco
2 - Violência de gênero
3 - Ações contra a ALCA
4 - Protestos em Salvador
5 - A Rede Globo e a concentração da mídia no Brasil
6 - Comunas Urbanas
7 -Dia Mundial Sem Carros
8 - Dia Pela Democratização da Mídia (2004)
9 - Quem você prefere homenagear?
10 - Ocupações d@s Sem-Teto
11 - Carros no lugar das pessoas
12 - Reintegração de Posse na Prestes Maia
13 - Ação policial em desocupação viola direitos constitucionais
14 - Em 16 de agosto de 2005, 70 famílias foram despejadas
15 - Perseguição aos camelôs
16 - Situação é crítica para catadores
17 - EXTRA! Tortada no secretário de habitação
18 - rampas anti-moradores de rua
19 - escracho em andrea matarazzo
20 - Moradia
21 - Comunicação Livre falam sobre o programa do João Kleber e a nova programação
22 - Ocupação Carlos Lamarca sofre ataque da Polícia Militar
23 - Desassine a Veja
24 - Adiado despejo da Prestes Maia, mas a luta continua
25 - TV digital: não deixe o governo decidir por você
26 - Dossiê denúnica lançado
27 - Favela do Moinho: mais de 700 famílias podem ser despejadas
28 - População rejeita o aumento das tarifas dos transportes públicos

Para visualizar e imprimir esses arquivos você precisará do Acrobat Reader. Em caso de dúvidas, contate o coletivo técnico do CMI. Para maiores informações sobre o CMI na Rua, escreva para cmi-sp-impressos@lists.indymedia.org.

voltar ao topo


Rádios / CMI no ar

Atualmente, alguns poucos grupos detêm as concessões de rádio no Brasil. Isso porque o radiodifusão em nosso país é controlada por uma agência reguladora - a ANATEL - que negocia e cede estas concessões, legalizando assim a rádio. Mas tais concessões normalmente contemplam apenas grandes grupos, sendo que as rádios comunitárias precisam dividir a mesma frequência (quando lhe são cedidas concessões) e as rádios livres ficam fadadas à ilegalidade.



Nós, do CMI, acreditamos que o "éter" é um espaço que deve ser utilizado por todos e para todos, comtemplando a pluralidade de idéias e as mais diversas formas de expressão e opinião. Observando o panorama atual, apoiamos abertamente as rádios livres e comunitárias, transmitindo seus sinais pela internet ou encorajando e participando ativamente da criação de novas rádios.
Através de parcerias como a que estabeleceu com a
Rádio Muda (105,7) de Campinas, transmitindo seu sinal também pela internet, é intenção do coletivo de São Paulo montar a sua própria rádio em um futuro breve, contemplando assim um maior número de vozes que não encontram espaço para se expressar.

Pensando nisso, o CMI conta com um projeto, ainda em fase de implementação, que reúne voluntários de vários coletivos do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Porto Alegre, Salvador e Goiânia) para a produção de um programa de rádio. Este projeto é o "CMI no ar", um programa semanal de 30 minutos que visa levar informação de qualidade à programação das rádios comunitárias. Para cada coletivo do projeto, é dado um espaço de 5 minutos. Abaixo, você encontra os links dos programas realizados pelo nosso coletivo:


CMI no ar São Paulo
1 - A ingerência da IFMs
2 - Rede Globo - Projeto TV na rede
3 - Semana de ocupações sem-teto

CMI no ar Brasil (pilotos)
CMI no ar Brasil - 1
CMI no ar Brasil - 2

Para maiores informações sobre os projetos ligados à rádios, escreva para cmi-sp-radio@lists.indymedia.org. Se você se interessa em participar do CMI no ar pelo coletivo São Paulo, ou quer saber mais sobre o projeto, escreva para saopaulo@midiaindependente.org.

voltar ao topo



Seja a Mídia

O CMI São Paulo acredita que montar espaços para produção de mídia por vários pontos da cidade e fora dela, disponibilizando recursos técnicos e possibilitando acesso grátis à internet, é uma ótima oportunidade de inserir pessoas digitalmente. Por isso, outra atividade desenvolvida pelo coletivo é a criação de espaços cibernéticos com acesso grátis à internet utilizando software livre.

O Cyber Café do CMI, que funcionou como um piloto, ficou em uma ocupação do Movimento Sem-Teto em São Paulo. Atualmente, o CMI está utilizando um espaço na Ação Educativa, que é voltado à produção de mídia independente. Lá existem alguns computadores conectados à internet, equipados com software livre totalmente voltado à produção de mídia e onde o acesso ao público é gratuito. Futuramente, o espaço contará com voluntários do próprio coletivo para acompanhar os usuários e esclarecer dúvidas, além de oficinas ligadas à área de informática, software livre e de produção de mídia.

Nossa idéia é oferecer às pessoas, principalmente as que não têm acesso, um espaço em que possam adquirir conhecimento para fazer a sua própria mídia, com edição de imagens, áudio e vídeo. Pretendemos também continuar implantando esses espaços em outros lugares e capacitando voluntários para geri-los. Se você se anima a ensinar pessoas a utilizar software livre, montar computadores e produzir mídia, esse certamente é um projeto que vai te agradar.
Para maiores informações sobre como fazer a sua própria mídia, escreva para
saopaulo@midiaindependente.org.

voltar ao topo


Vídeo
O coletivo de vídeo é uma vitória recente do grupo. Há muito tempo havia interesse de alguns voluntários trabalharem com a produção de vídeo, o que era feito apenas pelo coletivo do Rio de Janeiro. O coletivo de vídeo de São Paulo se formou e já conseguiu publicar seu primeiro trabalho: a cobertura da ocupação da ANATEL feita por ativistas.

Se você tem interesse em trabalhar com vídeo, temos muito para ensinar e também para aprender! Como é relativamente recente, o coletivo ainda precisa de bastante material, como câmera e fitas mini-DV. Qualquer ajuda com a parte de filmagem, produção, edição ou mesmo a doação de materiais é mais do que bem vinda. Abaixo, o primeiro trabalho do coletivo de vídeo de São Paulo:

Ativistas de São Paulo ocupam a ANATEL

Existem ainda atividades que são desenvolvidas por voluntários de todo o país e que os voluntários de São Paulo ajudam. Se você se interessa por essas atividades, o modo mais simples de poder trabalhar é integrar-se ao coletivo e se orientar pelas listas e com os outros voluntários.

Para maiores informações sobre o coletivo de vídeos, escreva para cmi-brasil-video@lists.indymedia.org.

voltar ao topo


Sítio na internet

O sítio www.midiaindependente.org é mantido por todos os coletivos do Brasil. Você pode contribuir de várias maneiras:

1 - Cobrindo eventos de relevância social que acontecem na região de São Paulo e precisam ser tornados públicos (são manifestações políticas, encontros, eventos e tudo o que possa interessar para as pessoas que estão lutando por um mundo com liberdade e igualdade).

A cobertura pode ser feita num relato escrito sobre o que aconteceu, ou com uma matéria completa com fotografias, áudio e vídeo - o que estiver na sua capacidade e disponibilidade.

2 - Cuidando da parte técnica do sítio. O sítio do CMI precisa muito de auxílio técnico para a manutenção. Existe um grande fluxo de informação passando pelo site, inovações tecnológicas e problemas para resolver. Além disso, desenvolvemos outras atividades que exigem técnicos com conhecimento avançado em informática. Temos pouquíssimos técnicos, que muitas vezes acabam não conseguindo dar a devida atenção para os problemas ou as tarefas que devem ser feitas, justamente por termos muitas solicitações e poucos técnicos.

3 - Fazendo traduções periódicas, na medida da sua disponibilidade. O sítio do CMI produz muita informação de qualidade sobre o que está acontecendo no mundo todo e apenas uma pequena parte do que é produzido chega aos usuários brasileiros devido à barreira da língua. Você pode tanto traduzir matérias sugeridas por outros voluntários empenhados em coberturas específicas como tomar a iniciativa você mesmo de buscar o que considera relevante e publicar no sítio.

voltar ao topo


Seu próprio projeto

O CMI é um projeto aberto que tem apenas a filosofia de democratizar a mídia e contribuir para a construção de uma sociedade livre, igualitária e com respeito ao meio ambiente. Se você tem qualquer outra idéia ou capacidade não contempladas pelos projetos existentes, você também pode contribuir com o CMI. Você pode vir até uma reunião e apresentar para o grupo o seu projeto!

voltar ao topo


Reuniões

O CMI São Paulo se reúne semanalmente, geralmente nos finais de semana. Os chamados para as reuniões com pautas, endereço, horários e demais dados são colocados na lista do coletivo.

Para maiores informações ou esclarecimentos, escreva para saopaulo@midiaindependente.org.


voltar ao topo