Os números são os mais diversos, uma certa é certa: o tráfico de seres humanos continua próspero em todo o mundo.

Números oficiais em Setembro de 2004 deste comércio macábro:

- 12 000 milhões de euros é o lucro anual do tráfico de seres humanos no Mundo.
- 30 000 euros é o ganho médio estimado com o comércio de cada ser humano.
.

Trabalho escravo

Milhões imigrantes ou refugiados acabam todos os anos nas garras de organizações mafiosas que os escravizam.

O esquema repete-se em todo o lado. Quando os imigrantes ou os refugiados chegam aos países de destino, as mafias locais começam por lhes ficar com a documentação. Depois obrigam-nos a trabalhar em condições miseráveis e ficam-lhes com grande parte do que recebem. O pretexto é que devem pagar a dívida da viagem, o alojamento, o suborno das autoridades locais, etc. Em pouco tempo estes imigrantes percebem que nunca chegarão a pagar a dívida que supostamente contraíram no início do processo e que não pára de aumentar. Isolados, desconhecendo a língua do país de acolhimento, sem documentação ou em situação ilegal tornam-se presa fácil de máfias que operam a uma escala cda vez mais global.

Os casos repetem-se em todos o continentes e países.

Portugal é referenciado como um dos países onde as máfias traficam pessoas oriundas da Ex-União Soviética (Ucrânia, Moldávia, Rússia, Roménia, Lituania, Bielorrúsia), mas também do Brasil. Serve igualmente de plataforma para o tráfico para outros países, como a Grã-Bretanha.

Em Inglaterra, a imprensa tem denunciou, em Maio de 2003, a existência de milhares de emigrantes portugueses escravizados por mafias locais.

.

Tráfico de Crianças

A OIT afirma que actualmente cerca de 8,4 milhões de crianças são directamente exploradas por redes que se dedicam à prostituição e escravatura (Dados de Junho de 2003).

A utilização de crianças em conflitos armados, continua a ser uma prática muito frequente, sobretudo em África. Na Serra Leoa, por exemplo, são raptadas e obrigadas a combater como soldados em grupos rebeldes. Alguns grupos armados chegam inclusivé a marcá-las para que não possam fugir. Muitas são igualmente usadas para detectar e limpar minas. Raparigas com menos de 10 anos, servem de companhia a soldados.

É impressionante a extensão das redes de trafico de crianças para a prostituição. Muitas destas crianças são mortas em práticas sexuais, nomeadamente nos países ditos mais desenvolvidos.

Em Portugal, em 2003, o país acordou para um pesadelo, ao descobrir que numa instituição pública de crianças- Casa Pia - as suas crianças alimentavam uma rede de pedófilos. Esta rede actuava desde os anos 70 na mais completa impunidade.

Em todo o mundo cerca de 246 milhões de crianças (73 milhões com menos de 10 anos) são usadas em todo o tipo de trabalhos, nomeadamente para a produção de produtos para grandes marcas internacionais (Dados de OIT, Junho de 2003).

.

Tráfico de Mulheres

Muitas mulheres são raptadas, outras são simplesmente iludidas por a promessa de uma vida melhor. O fim para milhões delas é conhecido: a prostituição ou a escravatura. As páginas da imprensa internacional enchem-se destes casos:

Mulheres do leste da Europa após serem violadas e drogadas são forçadas a prostituírem-se na Itália, Alemanha e outros países. A maioria das vezes estas mulheres são atraídas pela promessa de empregos bem pagos e depois são enganadas. Muitas sabem que vão para para trabalhar em bares de alterne, mas desconhecem as regras como o negócio funciona, nomeadamente a retenção de documentos e retribuições.

Em Portugal tem sido impressionante o aumento do tráfico mulheres oriundas de países do Leste europeu, nomeadamente da Ucrânia, Rússia e Moldávia, e da América do Sul.

O tráfico de seres humanos está amplamente espalhado por toda a União Europeia. Estima-se que cerca de 75 mil mulheres brasileiras sejam exploradas sexualmente na Europa (Estimativas oficiais em Setembro de 2004)

Mulheres do sudoeste asiático que trabalham como domésticas no Golfo Pérsico acabam por ser violadas pelos seus patrões.

Continua !
.
.




Escravatura Moderna
.
Economia da Escravidão

"Há escravos na maior parte do mundo, definitivamente no teu. E tu não podes pensar que isso não é uma preocupação tua: provavelmente comes, vestes ou brincas com produtos que podem estar ligados ao trabalho escravo. Estás implicado na economia da escravidão, gostes ou não.", in, Colors (Revista da Benetton, Janeiro de 2003).

.

Estas notícias já não escandalizam ninguém, tão banalizadas que estão pelas inúmeras reportagens jornalísticas que têm explorado este filão. Nem sequer nos espanta a estimativa avançada pela Colors, de que existem 27 milhões de pessoas vendidas como escravos em todo o mundo.

O que nos surpreende neste caso é que os números sejam tão pequenos.

Será que foram contabilizados as crianças que diariamente são traficados para estâncias de turismo sexual ? As jovens vendidas pelas famílias como prostitutas para bordeis ? Os imigrantes clandestinos obrigados a escravizaram-se para poderem sobreviver? As mulheres forçadas a casarem-se com quem não desejam? Aquelas que vivem sob coacção e tratadas como escravas? Os toxicodependentes escravizados a troco de doses de droga? Etc. Etc.

 http://imigrantes.no.sapo.pt/page4Trafico.html