A reciclagem de isopor já é uma realidade em santa catarina .
Graças ao termobloco ecológico.visite o sait www.termobloco.com.br


Isopor vilão ou aliado.

Durante muitos anos o fabricante de poliestireno expandido vem fabricando este material, já tão comum em nosso meio.
Podemos encontrar isopor nas embalagens de eletrodomésticos, bichinhos de pelúcia em câmaras frigoríficas, na construção civil e em uma série de outros produtos.
Até ai tudo bem se não fosse o grande impacto ambiental que esse produto vem gerando a natureza já tão degradada.
Esse é o problema enfrentado por diversas cidades grandes bem como as capitais que já encontram muitos problemas com esse tipo de material que vem saturando (entupindo) os aterros sanitários.
O isopor por si só não polui nem contamina a terra, mas como leva centenas de anos para se decompor, acaba ocupando muito espaço, diminuindo a área útil dos lixões.
Algumas empresas por não terem onde descartar esse material acaba fazendo verdadeiras atrocidades ao queimarem grandes quantidades, normalmente à noite, o que agrava em muito o problema do aquecimento global, causador das constantes alterações climáticas, bem como aumenta a poluição do ar.
Só para se ter uma idéia no Brasil são fabricados por ano cerca de 45.000(quarenta e cinco mil toneladas) de isopor por ano segundo dados da abrapéx asociaçãobrasileira de fabricante de isopor isso sem falar nas embalagens que vem com produtos tipo exportação.
E grande parte deste produto vai para os lixões.
Por não ter valor comercial os catadores de papel também não catam o isopor que encontrão pelas ruas, e os caminhões da coleta de lixo também já não coletam mais obrigando as pessoas a queimar para que não fique rolando.
Alguns ambientalistas já defendem o boicote incondicional ao isopor pelos problemas enfrentados acima relacionados.
Por outro lado se isso acontecer imaginem na grande quantidade de famílias que ficariam desempregadas em todo o pais, isso poderia acarretar até mesmo a falência de muitas empresas e isso definitivamente não seria bom.
A abrapex divulga em seu sait na internet diversas formas de reciclar isopor, porém quase nenhuma é aplicável muito menos viável.
Sugestão:
Diversas formas de reciclagem vem sendo testada em todo mundo afinal este é um problema que afeta todos os paises do globo.
Mas nenhuma é capas de reciclar uma quantidade tão grande de isopor quanto o termobloco, produto desenvolvido em Tubarão SC as margens da BR101.
O termobloco é um bloco pré-moldado a base de cimento isopor e aditivos que não só trazem benefícios a natureza, mas também a quem utiliza, pois diminui o gasto com estrutura, aumenta o conforto térmico diminuindo drasticamente o consumo de energia com climatisadores de ar (ar condicionado).
Vale lembrar também que se tivéssemos varias fabricas desse produto em todo o pais, ajudaríamos também a dar uma vida mais digna aos catadores de papel com um reforço financeiro na venda do produto, caso esse que já ocorre nas reciclas de Joinville e Florianópolis.

Apóie o termobloco ele é nosso presente para o futuro do mundo
Indique a um amigo